13 DE JUNHO, DIA DE SANTO ANTONIO

Muito já escrevi sobre Santo Antonio, devota que sou desde que me conheço por gente, hoje, porém preferi transcrever um texto histórico bem mais exato sobre ele, que traz com mais precisão, um tópico da vida deste santo grandioso e milagroso que talvez muitos ainda desconheçam e queiram conhecer com exatidão.

O texto que veio diretamente de Padova (Pádua, Itália) diz o seguinte, “Em fevereiro de 1220 correu a noticia na cidade de Coimbra que depois de cruéis torturas tinham sido assassinados em Marrocos cinco missionários franciscanos. O que ficou dos restos mortais foi devotamente recolhido pelos cristãos e transportado pelo irmão do rei de Portugal para a Igreja de Santa Cruz em Coimbra anexa ao mosteiro onde se encontrava Fernando”.

“Ele mesmo venerou os novos mártires recordando o seu encontro com eles, poucos meses antes. Tinham vindo da distante Úmbria (Itália), vestiam-se miseravelmente, mas, a simplicidade e cortesia, a alegria e a ardente fé desses cinco frades tinham-lhe impressionado muito”.

“Agora ele percebia com mais exatidão a mediocridade da sua vida e a atmosfera do mosteiro parecia-lhe uma vida ainda mais medíocre, por isso, Frei Fernando sonhava com uma nova vida onde a fé fosse à plenitude do espírito, dom arriscado e fecundo”.

“Um dia, alguns franciscanos que se encontravam na ermida dos Olivais, na periferia da cidade de Coimbra bateram à porta do mosteiro para pedir esmola”. “Fernando aproveitou a oportunidade para partilhar com eles a decisão que queria tomar: “deixar a Ordem dos Cônegos Regrantes de Santo Agostinho ingressar naquele movimento dos frades franciscanos e partir como missionário para o Marrocos desejoso de derramar o seu sangue por Cristo”.

“Com alguma dificuldade obteve as necessárias licenças, vestiu o hábito franciscano e deixou para sempre o mosteiro de Santa Cruz e, como sinal de vida radicalmente renovada mudou até de nome: em vez de frei Fernando passou a chamar-se frei Antonio”.

Depois de uma breve convivência com os novos irmãos – os filhos de Francisco de Assis – embarcou para a África”.

O texto, porém narra que a missão em Marrocos transformou-se imediatamente em desilusão, pois “Antonio logo que desembarcou ficou gravemente doente e assim, em vez de pregar Jesus Cristo teve que ficar acamado devido à febre malárica, contudo ele se rendeu com alegria à vontade de Deus”.

E assim por diante a linda história deste santo magnífico continua mostrando aos devotos e ao mundo o poder de quem recebe a graça divina e poderosa como é o caso do nosso querido santo padroeiro que tantos milagres e conforto trazem a quem a ele recorrem em suas necessidades.

Então, neste dia que lhe é dedicado, rendamos graças a Deus por termos em Santo Antonio, o padroeiro da nossa cidade de Piracicaba a quem podemos confiar e orar com toda fé e confiança em nossas vidas.