155 ressocializandos prestam Enem em Piracicaba

enem Aumento na participação foi de 26%, diz SAP. ( Foto: Divulgação)

Cento e cinquenta e cinco ressocializandos das unidades prisionais de Piracicaba irão prestar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Como as provas serão aplicadas para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade, obedecem cronograma diferenciado. Eles não deixaram a unidade, pois o exame será feito no próprio presídio, no interior da sala de aula usada pelos reeducandos. Para os candidatos em geral, os testes serão realizados na próxima terça-feira (11) e quarta-feira (12) nos próprios presídios. Entre os participantes, 125 serão da Penitenciária Masculina, dez no CDP (Centro de Detenção Provisória) “Nelson Furlan” e 20 do CR (Centro de Ressocialização) Feminino “Sidnes Carlos Cantarelli”.
O diretor do CDP, Maurício Arantes Romero Gonçalves disse que a participação dos ressocializandos simboliza uma possibilidade de acesso e eventual ingresso em várias instituições de ensino superior, permitindo trilhar em novos caminhos, totalmente diferente daquele que o levou a prisão. “O conhecimento liberta o homem de qualquer limitação, até mesmo de sua própria ignorância”, afirmou.

Para o diretor da Penitenciária, Élcio José Bonsaglia o exame é uma oportunidade de motivação. “Eles ficam muito motivados e disciplinados. Essas ações melhoraram inclusive o convívio entre eles”, comentou.

Bonsaglia acrescentou que por meio do estudo, como o Enem, aos sentenciados, a direção proporciona uma melhora acadêmica e ocupacional aos reclusos, gerando mais disciplina interna e melhorando o convívio da população carcerária. “Cabe destacar, que os sentenciados são agraciados pela legislação pela Remição por Estudo, onde a cada 12 horas de frequência escolar o sentenciado o condenado que cumpre pena no regime fechado ou semiaberto pode remir um dia de pena, o que incentiva os sentenciados a manterem um bom convívio e disciplina, até alcançar sua liberdade”, afirmou.

Segundo a SAP (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária), em 2018, inscreveram-se para fazer as provas 13.870 reeducandos paulistas, representando um aumento de mais de 26% em relação ao ano passado.

(Cristiani Azanha)