1ª turma de engenharia civil da EEP comemora 45 anos

encontro Ex-alunos participaram de um encontro festivo no dia 24 de novembro. ( Foto: Divulgação)

Foi repleto de emoção e nostalgia o encontro de 45 anos de formandos da 1ª turma do curso de engenharia civil da EEP(Escola de Engenharia de Piracicaba), no dia 24 de novembro, nas dependências da escola. Mesmo com chuva que caiu praticamente durante toda a manhã, cerca de 80 pessoas, entre professores, formandos, esposas e familiares, foram recepcionados por membros da direção da Fumep (Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba) e da EEP. “Estamos aqui como profissionais que, mais uma vez, demonstram o amor que têm pela instituição, pela profissão e pelos colegas ao retornarem à casa que os acolheu, 45 anos depois de formados”, disse o engenheiro e ex-aluno da EEP Ricardo Bortolai, um dos organizadores do evento, que faz seu nono encontro.

“Desde que nos formamos, em 1973, passamos a nos reunir a cada cinco anos como forma de congraçamento, integração e amizade entre os 38 formandos de uma turma que começou com 50 alunos”, disse Bortolai, reforçando o convite para o 10º Encontro, em 2023, quando a turma completará 50 anos de formada.

Nas falas do diretor executivo da Fumep, Antônio Carlos Copatto; do administrador contábil financeiro Reginaldo Nunes; do diretor acadêmico da EEP, José Carlos Chitolina; do coordenador do curso de engenharia civil, Antônio Carlos Silveira Coelho; e do orador da EEP, que também foi professor da turma, Antônio Mauro Ferraz Negreiros, ficou evidente a satisfação da instituição em ter seus primeiros alunos de volta à casa.

“Eles foram os precursores da história da EEP e, consequentemente, da própria Fumep. Por meio deles e das aulas ministradas a partir de 1969, a EEP consolidava sua história como uma das primeiras escolas de engenharia do Estado de São Paulo e uma das poucas existentes no país”, justificaram, antecipando o convite para que todos retornem à casa em 15 de fevereiro de 2019, quando a EEP promoverá solenidade alusiva aos seus 50 anos. Entre os formandos, o clima era de muita alegria e diversão; sobretudo durante a citação de passagens que marcaram as vidas de alunos e professores no período de 1969 a 1973.

(Da Redação)