30% dos inscritos em cursos da Semtre desistem antes do término

Quando o aluno desiste, não tem como chamar outro. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Por falta de mão de obra qualificada, apenas 39% das vagas oferecidas em 2019 pela Semtre (Secretaria Municipal de Trabalho e Renda) foram preenchidas. Visando atender a necessidade, a Secretaria ofereceu 2.220 vagas para cursos de qualificação, mas o índice de desistência foi de 30%.
Há estudo para implementar forma legal com objetivo de diminuir esse índice. “Não é uma forma de punir a pessoa, mas tem que ter a responsabilidade, porque está tirando a vaga de outra pessoa”, informou a Semtre por meio da assessoria de imprensa.
A Secretaria não tem dados do porquê das desistências. Mas, entre os fatores, de acordo com a assessoria de imprensa, está a pessoa encontrar emprego durante o curso e não informar a secretaria ou a própria falta de interesse. Além disso, como afirma a chefe do setor de qualificação da Semtre, Angélica Rodrigues Biato, “às vezes [também] é mãe que tem criança e não tem com
quem deixar”. Nos cursos contratados por meio de licitação, o transporte e alimentação estão inclusos.

Segundo Angélica, são inúmeras as razões de desistência. (Foto: Claudinho Coradani/JP)

“Às vezes a gente tem dificuldade na matrícula. Muitos inscritos, e aí você convoca para fazer a matrícula e não comparecem. A gente faz duas, três, quatro chamadas para conseguir formar turma,” informa Angélica.
A desistência acarreta no não preenchimento da vaga posteriormente. “Se desistir depois da 5a ou 6a aula, não tem mais como encaixar [outra pessoa] porque tem curso que é, a maioria, carga horária muito pequena, [então] ela já perdeu muito conteúdo e não tem mais como”, comenta Angélica.
De acordo com Luciana Goes, chefe da divisão de apoio ao trabalhador, com o alto índice de desemprego, as empresas podem escolher entre diversos currículos, o que aumenta a importância da qualificação profissional. “Aquelas pessoas, hoje em dia, que não têm uma boa qualificação, infelizmente acabam ficando para atrás. Não são selecionadas e não têm sequer uma oportunidade de entrevista”, avalia.
Os cursos ofertados pela Semtre são gratuitos e selecionados por intermédio de análise da necessidade do mercado de trabalho piracicabano. Além de contratação por meio de licitação, no ano passado e neste com o colégio PoliBrasil, a secretaria também tem parceria com o Senai, Sebrae, empresas e o IFSP (Instituto Federal de São Paulo).
A inscrição para os cursos deve ser feita online, no site da Secretaria (semtre.piracicaba.sp.gov.br). Os candidatos que não têm acesso à internet podem comparecer ao Centro de Atendimento ao Trabalhador (CAT) para que um servidor realize sua inscrição.
A seleção dos candidatos para a matrícula é realizada por sistema eletrônico. Entre os requisitos estão a pessoa estar desempregada e morar em Piracicaba, além da idade, escolaridade e renda.
CURSOS
De acordo com Angélica, a maioria dos cursos oferecidos em 2019 terão novas turmas neste ano. São cursos de cabeleireiro, garçom, cuidador de idosos, almoxarife, programador de produção, organizador de eventos, eletricista, operador de logística,
inspetor de qualidade, mecânica, além de informática básica e intermediária e das Normas Regulamentadoras (NR) número
10 – segurança em instalações e serviços em eletricidade, e 35 –para trabalho em altura.



Andressa Mota
[email protected]