300 estudantes conhecem projeto de reflorestamento

Números se referem as atividades realizadas este ano. (foto: Gabriel Bastelli)

Balanço realizado pela Dedini Indústrias de Base, nesta semana em que se comemora o Dia da Árvore, mostra que em 10 meses, desde a retomada das visitas monitoradas ao seu projeto ambiental, a empresa já recebeu aproximadamente 300 estudantes de escolas públicas de Piracicaba.

Além de conhecer as ações, em especial o reflorestamento da mata ciliar do Ribeirão Guamium, os alunos plantaram mudas nativas. Segundo Igor Serra, do setor de Meio Ambiente da Dedini, as visitas têm sido uma oportunidade para os estudantes saberem que o projeto de reflorestamento foi motivado pelas condições em que se encontravam as margens do manancial.

Degradadas pela atividade agrícola, com a mata ciliar destruída, as margens viviam um cenário que favorecia o assoreamento e danificava a qualidade da água, da flora e da fauna aquáticas.

A microbacia do Guamium ocupa uma área de 7.051 hectares, origina-se no Distrito Rural de Tanquinho e conta com aproximadamente 34 nascentes. O reflorestamento das matas ciliares foi realizado em parceria com a ONG Florespi.

Em 10 anos, mais de 10 mil mudas foram plantadas, 97.000 m² reflorestados desde 2005, por meio de 50 espécies nativas, sendo que 10 espécies estão na lista das ameaçadas de extinção. Para dar conta de um projeto dessa dimensão, e seguir as bases do projeto ambiental da empresa, o viveiro foi construído com materiais reaproveitados e disponíveis nas unidades e com o apoio da Fundação Mario Dedini.

O viveiro conta com um sistema de captação de água de chuva e um sistema de energia limpa para o bombeamento da água da cisterna para a irrigação, o que o torna totalmente sustentável.

Há um ano, desde agosto de 2018, voltou a trabalhar com sua capacidade total, podendo produzir até 15 mil mudas ao ano, o que garante a manutenção do reflorestamento, que é permanente.

Da Redação