930 pessoas podem perder o benefício da Prestação Continuada

cadastro Deise e Eliete durante entrevista sobre o cadastro. ( Foto: Amanda Vieira/JP)

Piracicaba recebe do governo federal, em média mensal de R$ 5,1 milhões, destinados para 5.415 beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada). Desse total, 930 pessoas (17,17%) podem ficar sem o rendimento individual de um salário mínimo, caso não façam inscrição no Cadastro Único até 28 de dezembro de 2018. De acordo com dados da Smad (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social), dos 5.415 beneficiários, 2.751 são pessoas com deficiências e 2.664 são idosos. Precisam fazer o Cadastro Único, 486 idosos e 444 pessoas com deficiência.

“A partir de janeiro de 2019, quem não tiver feito o cadastro terá o benefício bloqueado. É importante não deixar para a última hora, para agendar a inscrição, porque tem que comprovar documentação, passar por entrevista”, alerta a secretária da Smad, Eliete Nunes.

A inscrição é obrigatória, conforme o decreto 8.805/2016. Para receber o BPC, é preciso ter acima de 65 anos de idade ou deficiência e comprovar renda per capita de R$ 238,50. Com o objetivo de alertar sobre a necessidade da inscrição, a Smad fez parceria com a secretarias municipais de Saúde, para aviso da população atendida por meio dos módulos de PSF (Programa Saúde da Família) e de Educação em todas as unidades escolares. Hoje (30), das 13 às 16h30, acontece ação comunitária no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) da Vila Sônia, à rua Padre Otto Andreas Josef Wolf, 720. Nela beneficiários do BPC podem fazer a inscrição. “Apesar dos beneficiários terem recebido avisos do Governo Federal em extratos bancários, estamos informando em visitas e nos Cras e nas ações comunitárias sobre a importância do cadastro. É um dinheiro que faz a diferença para esses beneficiários, que pode ser usado para alimentação, compra de medicamentos”, destaca Eliete.

CADASTRO – O cadastro oferece informações sobre a realidade socieconômica dos beneficiários e suas famílias, permitindo ainda a identificação das demandas do público atendido para inclusão nos serviços socioassistenciais. Segundo Deise Gonçalves Medeiros, coordenadora do Programa de Transferência de Renda da Smad, o agendamento da inscrição pode ser feito pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16h, na Central do Cadastro Único, à rua XV de Novembro, 1.219, ou pelos telefones: 3435-4161, 3432-6167 e 3422-9052. Nos Cras do Jardim São Paulo, Mario Dedini, Novo Horizonte, Piracicamirim, São José e Vila Sônia, o agendamento ocorre às segundas-feiras, das 9 às 13h. “Para quem tiver dificuldade de locomoção, faremos o atendimento em domicílio”, enfatiza.

(Eliana Teixeira)