A cachoeira está de volta

Nesta semana o canal secou e a falta da cachoeira chamou atenção; água voltou a cair no rio ontem. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Considerada “um desafio” para as equipes da prefeitura, a obra de recuperação do canal do Mirante foi concluída e a queda d’água agora é permanente. “Foram usadas 30 toneladas de pedras e mais 16 de concreto, material transportado com carrinhos de mão, por quase 100 metros no meio da mata”, informou a assessoria da prefeitura.

O trecho rompido estava entre a comporta de captação de água do rio Piracicaba, quase ao lado do Shopping Piracicaba, e a Ponte do Mirante. Para realizar o reparo, que levou cerca de 15 dias, foi preciso fechar a comporta com terra, que foi aberta na tarde de sexta-feira (11). “A água, nas primeiras horas, ficará bem suja, mas voltará à cor normal ainda neste sábado (12)”.

Há cerca de um ano, o canal estava rompido em um trecho de difícil acesso. De acordo com Odair Mello, diretor da Defesa Civil, aproximadamente 90% do volume de água que entrava no canal pela comporta não era direcionado até o Parque do Mirante. “Por isso, o volume de água na queda era grande apenas nas cheias. O canal, em toda sua extensão, tem partes de terra e paredes de pedra. O rompimento ocorreu justamente na parte de pedras”, declarou.

“A recuperação do Canal valoriza ainda mais a área verde às margens do rio Piracicaba, que é um dos principais patrimônios ambientais da cidade”, ressalta José Otávio Menten, secretário de Defesa do Meio Ambiente.

HISTÓRIA

O Canal foi criado para desviar a água para dentro do Engenho Central, construído em 1881 pelo Barão de Resende. A água servia para movimentar maquinário e também para o resfriamento de alguns processos. O curso d´água passa por dentro do Parque do Mirante e desemboca novamente no rio Piracicaba. Sua vista da avenida Beira Rio é uma das preferidas de piracicabanos e turistas. Muitos o chamam, equivocadamente, de Véu da Noiva. Na verdade, a região do salto do rio, onde se forma uma bruma pelo movimento das águas, é o verdadeiro Véu da Noiva.

Para Marcelo Cachioni, diretor do Departamento de Patrimônio Histórico do Instituto de Planejamento e Pesquisas de Piracicaba, a recuperação do canal é muito importante para a cidade. “A queda d´água acaba sendo um elemento de paisagem importantíssimo e já está no imaginário da cidade”, observa.

Da Redação