A Mudança Começa em Você

Marcelo Mazzei é escritor

Tudo o que quero para este final de ano é ter uma perspectiva de mudança. Mudança em todos os sentidos, principalmente a que todos nós precisamos fazer: a mudança interior. No entanto, ainda nos deparamos com indivíduos, quando não nós mesmos, indiferentes a essa necessidade básica, a de se modificar para melhor, permanecendo estacionados em relação ao processo de desenvolvimento individual e social, o que evidencia que a consciência humana apresenta níveis de entendimento diversos ao número de seres humanos viventes no Planeta.

Por cobrança ou imposição, externa ou interna, a mudança comportamental sempre precisará ser implantada, para que se mantenha em consonância com seu tempo, evitando-se contrariedades e sofrimento, para si e para outrem, como também predispondo o homem para novos desafios e conquistas.

Mas, assim como temos em nossa natureza a facilidade de julgar o comportamento alheio e a de solicitar mudanças comportamentais dos outros, não enxergamos ou não aceitamos a necessidade de mudarmos os nossos pontos de vista e hábitos.

Mas por onde começa a mudança? Apelando à filosofia grega, encontraremos uma orientação imprescindível para se iniciar o processo de mudança: “Conhece a ti mesmo”

Se nós tivéssemos consciência de que a solução de todos os problemas do mundo está dentro da gente, talvez hoje não existissem guerras, preconceitos, intolerâncias, talvez de fato, o universo inteiro conhecesse a felicidade.

O panorama geral é alarmante. A política, a sociedade, a escassez dos recursos naturais, as relações interpessoais, absolutamente tudo que move a nossa rotina, o caminho em si, encontra-se em um perigoso processo de desencontros. A turbulência é tanta, que o coração da gente às vezes parece segurar o tiquetaquear por uns segundos, apenas para sentir a euforia de começar a bater novamente, com outro ânimo, uma nova perspectiva, um novo pulsar.

Acontece que a mudança que a gente espera do mundo, o mundo também espera da gente. Afinal de contas as maiores transformações de paradigmas emergiram a partir de pessoas que decidiram sair da sua zona de conforto e ser a mudança positiva, a atitude operante, a motivação que tantas outras pessoas precisam para aderir ao movimento da renovação de escolhas e efetivamente ser a diferença. E o engraçado é que o limite entre o possível e o sensacional é tão mínimo que é normal se desdenhar a beleza dos pequenos gestos, das pequenas demonstrações de flexibilidade, dos ínfimos cuidados que podem parecer tão pouco aos nossos olhos, mas que para o outro pode ser simplesmente a única razão que ele terá naquele dia para esboçar um sorriso.

A escolha de ser melhor, de colocar as mãos na massa, de distribuir votos de esperança e doçura por aí é inteiramente nossa, e é diária. A verdadeira humanidade está em ser/fazer algo notável por alguém, simplesmente porque isso te torna uma pessoa mais rica por dentro, mais leve, mais feliz.

Que 2019 seja para nós todos um ano de muitas mudanças, principalmente aquelas que só nós podemos fazer como olhar para dentro de nós mesmos e ajudar o próximo. Feliz ano novo!