A mulher essa Eva maravilhosa

Em Gênesis Deus criou o universo e na terra começou com a criação do reino mineral, as águas, as rochas, e as montanhas, depois como bom arquiteto rascunhou e projetou o reino vegetal, com as árvores normais, as árvores que dão frutos e também, as que fornecem curas às enfermidades reparando nossas energias, representadas pelo coco, guaraná, açaí, jurubeba, catuaba e outros que o zezinho da farmácia costuma receitar, as vezes misturadas com suco de limão.

Deus não descansou após esses feitos. Era necessário dar mais vida ao nosso planetinha. Criou a vida animal. Começou com a girafa, porque queria um animal curioso, que pudesse enxergar por cima dos muros sem grandes esforços e para passar as informações necessárias Depois criou o burrico, porque era irracional. Foi criando os outros, rinocerontes, baleias, focas, tucanos bicudões, gambás fedorentos, tamanduás linguarudos, os crocodilos com modos grosseiros como as suas peles, os jacarés como concorrentes para as fábricas de cadeiras, apresentando-se como “autodescanso” deitado eternamente em seu berço, natural. As cobras nesse tempo já faziam cursinho para entrar no paraíso.

Mas o criador, depois de todo esforço ainda não estava contente, e imaginou que um animal racional deveria povoar a terra. O macaco que também já tinha sido criado pensou em aproveitar a oportunidade, colocando-se como candidato, mas, com barro, que alguns dizem procedentes do Brasil, o Senhor preferiu dedicar-se a fazer o homem. Quando terminou o seu trabalho, ao enxugar as mãos ouviu uma queixa, que vinha da criatura, que havia peças no corpo que não seriam convenientemente aproveitadas. O criador esperou o homem roncar tomou uma costela e criou a mulher.

Portanto a mulher é o ser mais completo que existe na face da terra. Foi a última criação que, com certeza, aproveitando todas as experiências e fórmulas anteriores apresentou seu último trabalho, condensando tudo o que era perfeito.

Com essa última criação houve um descanso.

A mulher que recebeu o nome de Eva ficou simpática a uma cobra, que devia ter alguma mágica, pois também arrebata para a sua seita alguns homens que a todo o momento acabam se assumindo, pois não sabe o que acontece, mas…assumem. Hoje as coisas estão cada vez mais estranhas na ampliação desses costumes, com desdobramentos que ainda são discutidos na sociedade.

No jardim do Éden, a Eva e o Adão estavam proibidos de comer maçã, mas com a assessoria da cobra, Eva comeu a maçã.

O Criador ficou nervoso e prescreveu ao homem muito inocente, a pena de ter que comer o pão que o diabo amassou pão feito com o suor do seu rosto que até hoje é um tanto salgado.

Foi dito que a cobra foi condenada a andar sobre o seu ventre, porem não sabemos como andava antes de entrar no paraíso.

Para a mulher, o Criador, disse que sua pena seria paga com sangue pela desobediência. No entanto, com o seu jeitinho a mulher conseguiu acordos para pagar em suáveis prestações mensais.

O Criador também colocou naquela costela toda a sua força mental, intelectual e espiritual, junto do “conjunto fêmea” que a mesma encerra e assim a terra foi habitada.

No decorrer dos tempos as mulheres devagarzinho, devagarzinho continuaram mandando em tudo, pois o falso machismo de alguns homens, que percebem que é lutar inglória contra a natureza, e que até estão passando para o outro lado. Elas provavelmente provocarão a extinção dos homens que só servem para dar uma de bom, jogar cinzas no tapete, molhar a beira do vaso sanitário, lustrar os sapatos com a cortina, dormir sem tomar banho, assuar o nariz na ponta da toalha de mesa, e quando reunidos passam por falsos espirituais com suas piadas, para alegrar a sua condição.

Ei Manoel você gosta de mulher com bastante seios? Não, para mim bastam dois.

Viva a mulher, nossa mãe e grande companheira.