A poupança do envelhecimento

Em minhas aulas e palestras que ministro em vários locais, como um especialista em envelhecimento, percebo que muitas vezes ao abordar este tema com as pessoas mais novas, elas muitas vezes não ligam e pensam que o envelhecimento é uma coisa que está longe da realidade delas.

Nos meus anos de aulas de Personal com idosos, em muitas conversas com estes meus alunos no alto da sua envelhescência, mencionam que o maior medo deles ao envelhecer é o de perder a autonomia e depender de alguém para realizar as atividades do dia a dia. E isso vem se tornando cada vez mais uma realidade, ao pensarmos que o mundo esta envelhecendo e se não nos cuidarmos, talvez isso possa acontecer! Depender de alguém para as coisas simples da vida não é o objetivo que devemos ter para nosso envelhecimento.

E digo que para se manter jovem do ponto de vista da autonomia é preciso fazer exercícios físicos regularmente. A resistência e a força diminuem naturalmente na maioria das pessoas em função da idade, mas, de acordo com o Centro de Controle de Doenças nos Estados Unidos, a maior parte da diminuição vem da inatividade física. Cerca de 30% dos homens e 50% das mulheres com 75 anos ou mais, por exemplo, não praticam nenhuma atividade física. Além disso, a Organização Mundial da Saúde identificou a inatividade física como a quarta causa de morte no mundo e a cada ano avança mais, apesar das informações e esforços da mídia e dos governos.

Três são os principais benefícios quando vejo o porquê um idoso deve começar uma atividade física.

Aumento da força muscular – O exercício melhora a força muscular e os nervos usados ​​para levantar objetos pesados. Sentar e levantar de uma cadeira, pegar um objeto no chão, carregar sacolas podem ficar mais fáceis e com isso você não perde sua autonomia.

Resistência a acidentes físicos – A maioria das dos problemas de saúde nos idosos ocorre como resultado direto ou indireto de uma queda. O exercício é o principal fator de prevenção de quedas. Os adultos mais velhos fisicamente aptos são menos propensos a cair ou se ferir durante as atividades físicas.

Melhoria das condições crônicas – Pessoas com condições que poderiam incapacitá-las por problemas físicos ou mentais podem melhorar sua força e resistência com exercícios, com uma redução nos sintomas relacionados doenças tão variadas quanto a perda de densidade óssea, artrite, doença de Alzheimer, depressão e ansiedade.

Não ache que não é porque é idoso ainda que não precise se cuidar! Quando se é novo e realiza uma atividade física, é gerada uma poupança motora para seu envelhecimento. E lá na frente isso pode fazer a diferença na sua autonomia. Seja para você, seu pai, sua mãe ou seus avós! Até a próxima!