A qualidade de vida é boa para 81% dos piracicabanos

 

Recentemente, uma pesquisa publicada pelo JP, revelou que 81% dos piracicabanos concordam que a cidade oferece qualidade de vida à sua população. O levantamento indicou que 67% classificam as condições locais para se viver, como boa e, 14%, como ótima. Esses números expressam o sentimento positivo do piracicabano em relação às suas percepções sobre as políticas públicas em curso, especialmente no que se refere à saúde, segurança, educação e lazer. Provavelmente, se a realidade do país fosse outra, com índices menores de desemprego, o resultado seria ainda mais expressivo.

Mas se a maioria das pessoas, como atesta o JP, gosta de viver em Piracicaba, os méritos não são apenas da Prefeitura, mas do conjunto da sociedade, dos setores empresariais, dos movimentos populares, das associações, sindicatos, Conselhos Municipais, servidores e, com justiça, da Câmara de Vereadores que, ao exercer o seu verdadeiro papel fiscalizatório, nos ajuda, nos indica caminhos, e nos auxilia a administrar uma cidade que, mesmo com toda a sua complexidade, tem sido reconhecida nacionalmente pelos índices de qualidade de vida, associados à educação, saúde, cultura, saneamento, segurança, desenvolvimento social, lazer e entretenimento, entre outros.

Piracicaba é um importante centro de excelência no ensino, e isso começa pela pré-escola, as quais ressalto aqui, não apenas aquelas que construímos e entregamos, mas toda rede particular que também faz um trabalho exemplar. Nossas escolas de ensino fundamental e médio, públicas e privadas, nossos cursos profissionalizantes, os tecnólogos, as instituições de ensino superior, de pós-graduação, nossa comunidade científica, escritores, artistas gráficos, plásticos, cênicos e, agora, nossos talentos das artes digitais.

Na saúde, embora sempre haja quem aponte pecados, muitos dos quais reconhecemos haver, avançamos em dois anos, mais de um século. Construímos, juntos, poder público e sociedade, dois hospitais: o Regional e o Ilumina. Nossas UPAS, policlínicas, os Programas de Saúde da Família, as unidades básicas de saúde, os centros de especialidades, enfim, as 120 portas de entrada que a população tem para cuidar das suas vidas.

Em termos de segurança, demos um importante salto qualitativo e quantitativo ao ampliar os  serviços de atendimento à população. Mais guardas nas ruas com novas viaturas, bikes, câmeras digitais, patrulhas específicas para o atendimento escolar, rural e à mulher vítima de violência doméstica. Nossas valorosas polícias Civil, Militar e Federal se incorporam nesse grande esforço público para reduzir ainda mais os índices de violência e criminalidade de toda a nossa região.

As conquistas são muitas, contudo, sabemos que o maior desafio é manter esses índices elevados e superá-los, mas isso não se consegue sozinho. Precisamos que cada empresa, cada entidade, cada cidadão também faça a sua parte, afinal a cidade pertence a todos nós. Os méritos de uma cidade aprovada por 81% da população é de todos, inclusive dos mais críticos, às vezes injustos e maldosos, mas necessários, para que possamos nos superar a cada dia, aprendendo que sempre há um motivo para melhorar e caminhos que não devem ser trilhados.

 

Barjas Negri