Abaixo-assinado pede semáforo na avenida Pompeia

Fieis da igreja Católica e moradores e comerciantes do bairro Nova Pompéia fizeram um abaixo-assinado com 449 adesões para instalação de semárofos para veículos e pedestres na avenida Pompéia, esquina com as ruas Armindo de Camargo e Veridiana Elesbão, na frente da igreja Nossa Senhora do Rosário. O trânsito de veículos aumentou muito no trecho por causa da expansão da região. O temor é que o trecho registre atropelamentos e acidentes, tal é o fluxo intenso de veículos no entorno.
 
Quem encabeçou esse abaixo-assinado foi o aposentado Paulo Camolesi, 65, que participa da Paróquia São Paulo Apóstolo. O documento foi entregue na Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes). Segundo o ex-vereador, o trecho é muito usado por famílias e tem fluxo intenso de veículos e ônibus urbano, a qualquer hora do dia. 
 
“Está se tornando cada vez mais perigoso o cruzamento. Antes que aconteça algo mais grave, nos manifestamos para que alguma providência seja tomada”, disse o aposentado. Foi uma forma de alertar as autoridades sobre os riscos de acidentes no trecho.
 
Outra preocupação de Camolesi é com os cerca de 180 fieis que frequentam as rezas dos homens às terças-feiras e as missas aos domingos de manhã. Além do semáforo para veículos, informou Camolesi, há necessidade de instalar semáforo para pedestres nas imediações “Pedestres correm risco e as pessoas de carro também. Todos querem passar, mas não tem sinalização correta”, afirmou o aposentado.
 
Começaram a circular pela região moradoresdas Glebas Natalício, região que foi asfaltada, o que garante o acesso mais rápido as avenidas Dois Córregos e Rio das Pedras. Além disso, o Hospital Regional será reinaugurado amanhã e começou a terraplenagem para construção do Hospital do Câncer, informou Camolesi. E ainda serão entregues mais 1.600 apartamentos na região, o que deve aumentar ainda mais o tráfego pela avenida. 
 
O secretário de Trânsito e Transportes, Jorge Akira, informou que recebeu o abaixo-assinado e que a equipe realizará contagem para ver a viabilidade ou não da instalação, a partir de estudos técnicos e de acordo com o Código de Trânsito e regulamentações do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).