Ação orienta população sobre uso racional de medicamentos

Profissionais e estudantes da área orientam sobre uso correto dos medicamentos. (Foto: Claudinho Coradini / JP)

O dia 5 de maio foi escolhido pelo Ministério da Saúde para chamar atenção da população sobre o uso racional de medicamento. Seguindo esta orientação, os municípios brasileiros realizam ações para tratar do tema ao longo do mês.
Em Piracicaba, o CRF (Conselho Regional de Farmácia), o DAF (Departamento de Assistência Farmacêutica), da Secretaria Municipal de Saúde, e a Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) se reuniram, em parceria com as redes de farmácias Drogal, Droga Raia e Farmácia Chá Verde, para uma ação coletiva que acontece neste sábado, na praça José Bonifácio, das 9h às 13h.

Durante a manhã deste sábado, profissionais do setor, professores e alunos vão orientar a população sobre o uso correto de medicamentos, os perigos da automedicação e o descarte correto de frascos, embalagens, agulhas e ampolas, além da importância das medidas de prevenção e do acompanhamento e controle de doenças crônicas. Na ocasião, será realizado também aferição de pressão arterial e glicemia capilar. Haverá ainda informações sobre a dengue, transmitida pelo aedes aegypti e formas de combatê-lo.

No evento está prevista a presença de 25 farmacêuticos, alunos da Unimep e profissionais das redes de farmácias parceiras. “Ações com esta servem para mostrar a importância do profissional farmacêutico atuando na saúde pública, levando informações importantes para a população”, disse Ana Raquel de Castro, coordenadora do DAF.

Para o secretário de Saúde, Pedro Mello, o trabalho em parceria é fundamental para fortalecer a rede de serviços à população e estimular mudanças de paradigmas sobre saúde pública. “Ações como esta demonstram a capacidade do município, por intermédio do governo municipal, de se articular quando se trata de questões relevantes ao bem comum. Nesse caso, é um trabalho que vislumbra a consolidação do conceito de cuidado e prevenção junto às famílias. Para tal é preciso uma mudança cultural gradativa e constante, que só se dá quando há união de esforços”, observou.

 

da Redação