Acusado de roubo em área rural corre risco de ter braço amputado

Polícia Civil apura o caso. (arquivo/JP)

Um rapaz de 21 anos, acusado de participar de um roubo no bairro Godinho, área rural de Piracicaba, corre o risco de ter o braço amputado. De acordo com a Polícia Civil, durante a ação criminosa, ele teria sido baleado pelos próprios comparsas que teriam efetuado disparos em direção às vítimas do roubo, na noite de terça-feira (25). O suspeito foi localizado pela Guarda Civil, após dar entrada em um hospital de Charqueada. Ele foi transferido ao COT (Centro de Ortopedia e Traumatologia) de Piracicaba para a realização de uma cirurgia de emergência, pois seu estado de saúde é grave e corre o risco de ter seu braço amputado, segundo a polícia. Outros três suspeitos que também teriam participado do roubo conseguiram fugir, mas um deles teria derrubou sua cédula de identidade.

O roubo ocorreu às 18h30 de terça-feira, os quatro assaltantes teriam invadido uma propriedade e renderam duas vítimas que estavam no local. Durante a ação criminosa, eles chegaram a efetuar disparos em direção das vítimas, mas não foram atingidas. O quarteto fugiu após levar vários pertences das vítimas. O levantamento dos objetos roubados deverá ser apresentado posteriormente à Polícia Civil.

APURAÇÃO

Enquanto a Guarda Civil estava na propriedade das vítimas, os agentes localizaram um documento de um dos suspeitos do roubo. Ele foi reconhecido como um dos envolvidos no assalto pela fotografia da cédula de identidade. Os GCs fizeram uma pesquisa no sistema e descobriram que ele residia em Charqueada.

Os agentes conseguiram entrar em contato com os funcionários do hospital daquela cidade, onde acabaram descobrindo que outro rapaz que também teria participado do roubo deu entrada na unidade, após ser baleado no braço.

Os guardas foram até ao hospital, onde localizaram o suspeito. Ele foi autuado em flagrante sob acusação de roubo, e permanece sob escolta da Polícia Militar. Os outros acusados do roubo ainda não foram localizados pela polícia.

 

Cristiani Azanha