Advogado é preso com carro clonado ao lado de delegacia

Carro foi furtado em Santa Bárbara d’Oeste. (Divulgação)

Um advogado de 42 anos foi preso pela Polícia Militar, após ser surpreendido com um Astra clonado ao lado do 1º Distrito Policial, na madrugada desta sexta-feira. Ele chegou a ser autuado em flagrante sob acusação de receptação, mas foi liberado após o pagamento de fiança no valor de R$ 1.200. Ele foi acompanhado pela Comissão de Prerrogativas da subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Piracicaba.

Segundo o boletim de ocorrência, por volta das 2h da madrugada, os policiais militares da Força Tática perceberam que um Astra que estava parado praticamente na frente da delegacia poderia ser clonado. O proprietário do carro original, que reside em Rio Claro, já tinha procurado a Polícia Militar, pois desconfiava que seu carro tinha sido clonado, pois estaria recebendo multas de trânsito de Piracicaba.

Os policiais constataram que o lacre das placas aparentemente estava rompido. Observaram que a numeração do chassi constante no vidro reportava pertencer a outro veículo de Rio Claro com as mesmas características. Os policiais perceberam que o advogado teria acabado de descer do carro.

O próprio advogado teria confirmado que o veículo lhe pertencia e teria permitido que os policiais abrissem a porta. Os PMs constataram que o chassi do veículo estava totalmente raspado, bem como a numeração do motor.

Ainda conforme os policiais, eles confirmaram, por meio do módulo eletrônico, o chassi original, que pertencia a um veículo roubado em Santa Bárbara d’Oeste. O proprietário do veículo, um auxiliar de escritório de 46 anos, informou que o carro roubado possuía o aerofólio traseiro.
Questionado sobre a procedência do carro, o advogado alegou que adquiriu o veículo de um desconhecido e acreditou que o caro não tinha sido pago em decorrência devido à alguma restrição financeira, mas desconhecia que era “ilícito”.

O presidente da subseção da OAB de Piracicaba, Jefferson Luiz Lopes Goularte disse que apesar do advogado ter sido preso por problema diverso ao exercício da profissão foi acompanhado pela comissão para garantir seus direitos enquanto advogado sem entrar no mérito da questão, apenas para garantir a defesa e direitos das prerrogativas do advogado.

 

Cristiani Azanha