Agente da Semuttran é assassinado com oito tiros

PC Ele foi atingido com disparos de sua própria arma. ( Foto: Arquivo pessoal)

O agente de trânsito Zeneilo da Silva Ramos, 37, foi morto após uma discussão em um bar em Iracemápolis, na madrugada do último sábado. Ele foi atingido com pelo menos oito tiros disparados à curta distância e, ainda, teve sua arma levada pelo assassino. A vítima era funcionário concursado da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes) e contratado como agente de trânsito de transportes desde 8 de outubro de 2013. O sepultamento aconteceu, anteontem, no Cemitério Municipal de Iracemápolis. O autor dos disparos ainda não foi localizado.

Segundo a Polícia Civil, por volta das 4h30 de sábado, o agente estava em um bar com alguns conhecidos, quando teria se envolvido em uma discussão com um rapaz que estava sentado em um balcão e usava boné. De acordo com a gravação do sistema interno de segurança do estabelecimento, um homem teria se aproximado da vítima e o agressor supostamente para tentar conter os ânimos, mas o agente teria se afastado. O assassino chegou a agredir Ramos com um soco, e conseguiu derrubá-lo ao chão. O agente já estava caído, quando o criminoso conseguiu tomar a arma de Ramos e disparou seguidas vezes. Em seguida fugiu levando a arma do agente.

A Semuttran, informou em nota, que lamenta a morte do funcionário. Ramos foi militar do Exército, tendo participado da missão de Paz no Haiti, promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas). A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semuttran, prestou e está prestando todo o apoio para a família.

HOMICÍDIO — Uma outra discussão em um bar resultou em morte, no bairro Santa Teresinha, por volta das 21h40 da última sexta-feira (30). Adriano Aparecido de Oliveira Barros, que não teve a idade informada pela polícia, foi atingido com cinco disparos, quatro na região do tórax e um no braço. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas quando chegou a vítima estava morta. O acusado foi preso minutos depois do crime pela equipe do delegado plantonista Gillys Esquitini Scrocca. Após conversarem com algumas testemunhas do crime, a Polícia Civil conseguiu localizar a casa do suspeito que ficava no mesmo bairro. O acusado teria confessado que atirou na vítima após uma desentendimento entre eles.

(Cristiani Azanha)