Água escorre por ruas do bairro Verde há mais de 1 ano

Escoamento de água na rua Francisco Alves, esquina com a rua Benedito Bonzon Penteado, causa transtornos aos moradores do bairro Verde. Segundo relatos, o problema é causado há mais de um ano e ainda não foi resolvido pela prefeitura.
 
Os moradores informam que a água começa a escoar no campo de futebol, passa pela rua Monte Castelo e atravessa a rua Francisco Alves, com esquina com a rua Benedito Bonzon Penteado.
 
Para o proprietário de dois barracões que fornecem trabalho para as usinas de açúcar e álcool da região, Daniel Zanatta, 39, o problema não é só a água que está parada na rua. “Se fosse só nesse local, não sairia tanta água de um só lugar, e já estaria resolvido. O problema está na nascente dessa água”, contou Zanatta.
 
Ainda segundo Zanatta, o problema provoca destruição no asfalto e vários carros tiveram que ser guinchados por causa das poças de água. “Passo todos os dias com carretas pesadas nesse lugar. Agora, que já sei como está o problema, tento desviar todos os dias o meu caminho para não ter que passar por lá. Mas, se alguém vier de fora, vai correr perigo de seu carro ser atolado no barro e na água que está lá”, disse.
 
“Uma das providências que poderiam ser tomadas é a criação de uma ‘boca de lobo’ para passar essa água que vem do campo de futebol. Não adianta tentar resolver a questão dos buracos, pois eles só foram piorados por causa dessa nascente. Até para estacionar estamos tendo problemas”, contou Gilberto Fernandes,53, projetista da empresa Touro Churrasqueiras, localizada em frente à nascente.
 
A assessoria de imprensa da prefeitura foi informada sobre o ocorrido na tarde de anteontem, quando levou um técnico da Semob (Secretaria Municipal de Obras) ao local. Em nota, a prefeitura informou que irá drenar a água da nascente que sai do campo de futebol. 
 
Ainda disse que tentará levar essa água diretamente para uma boca de lobo nas proximidades, sem que ela chegue ao asfalto. Porém, isso só será feito quando as chuvas derem uma trégua. Após a drenagem, o asfalto também será consertado. Antes disso seria desperdício de recursos, traz a nota.