Ajuste no orçamento estadual assegura manutenção do Projeto Guri

Projeto Guri atende crianças e adolescentes de 6 a 18 anos (Foto: Divulgação) Projeto Guri atende crianças e adolescentes de 6 a 18 anos (Foto: Divulgação)

Em coletiva realizada ontem no Palácio dos Bandeirantes, o governador João Doria (PSDB) anunciou a decisão de descontingenciar R$ 20,7 milhões para a manutenção do Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, que promove iniciação e formação musical para crianças e adolescentes.

No anúncio, que contou também com a presença do vice-governador Rodrigo Garcia, do secretário da Fazenda Henrique Meirelles e do secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão, foram apresentadas as medidas previstas para que serviços essenciais, como o Projeto Guri, não sejam interrompidos.

Em 382 polos, incluindo os polos Fundação Casa (destinados a jovens em cumprimento de medidas socioeducativas), são atendidos aproximadamente 64 mil jovens por ano.

O deficit fiscal projetado de R$ 10,5 bilhões em 2019 obrigou o Governo a determinar contingenciamento de R$ 5,7 bilhões em todas as áreas. Para a Cultura, foi estabelecido um contingenciamento de cerca de 23%, equivalente a R$ 150 milhões, incluindo os 24 contratos com Organizações Sociais e demais programas e ações.

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa tem realizado uma avaliação minuciosa dos contratos, programas e ações, levando em conta o impacto do contingenciamento, buscando implementar readequações para minimizar as consequências e buscar mais eficiência e eficácia.

PROJETO GURI

O Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, promove iniciação e formação musical de qualidade e inclusão sociocultural, contribuindo positivamente para o desenvolvimento de crianças, adolescentes e seus familiares.

Por meio de cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, são atendidas 64 mil crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos, nos Grupos de Referência e na Fundação Casa).

Da Redação