Alemanha diz que tarifas de Trump contra o aço prejudicam Europa

O ministro das Relações Exteriores alemão, Sigmar Gabriel, afirmou nesta sexta-feira que as tarifas anunciadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre as importações de aço e alumínio prejudicam de maneira injusta seus aliados da Europa. “Diferentemente de outros países, as companhias alemãs e europeias no setor de aço e alumínio não praticam dumping nos preços para conseguir uma vantagem competitiva injusta”, afirmou a autoridade alemã em comunicado na manhã desta sexta-feira.

Gabriel afirmou que a decisão de Trump atingiria de maneira mais dura “precisamente” as exportações e o mercado de trabalho europeu. Segundo o ministro, os aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) achariam “impossível de entender” o argumento do presidente americano de que as tarifas para proteger empresas americanas seriam uma questão de segurança nacional.

A autoridade alemã pediu ainda que Trump reconsidere as medidas. “Nós precisamos fazer todo o possível para evitar uma guerra comercial internacional”, afirmou.

O presidente da Associação Alemã do Aço, Jürgen Kerkhoff, também disse que as tarifas anunciadas pelos EUA teriam um impacto negativo para as siderúrgicas europeias. Os 13 milhões de toneladas que os EUA pretendem cortar em importação podem acabar diretamente na Europa, que já lida com um excesso de capacidade no setor, comentou Kerkhoff. Ele pediu uma ação da União Europeia, para que os países europeus não “paguem a conta pelo protecionismo americano”.

No ano passado, as importações de aço laminado na UE aumentaram 1%, para 32%, novo recorde, segundo a associação alemã. Os EUA, por sua vez, compraram 1 milhão de toneladas de aço laminado do bloco europeu no ano passado, sendo o mais importante destino de exportação para as siderúrgicas europeias fora do bloco. Fonte: Dow Jones Newswires.