Antes tarde do que nunca é uma realidade para o envelhevecimento

Muitas pessoas ainda acham que estão muito “velhas” para começarem um programa de exercício. Ouço muito isso, por mais que a cada dia a mídia mostre que isso não mais assim. Contudo, aquele ditado “Antes tarde do que nunca” jamais foi tão correto para a prática da atividade física como agora.
De acordo com o estudo que saiu na Revista Frontiers of Physiology com o título “Comparison of Muscle Funtion, Bone Mineral Density and Body composition of early starting and later starting older máster athletes” mostrou que o início da atividade física na meia idade não é tarde para se ter todos os benefícios à saúde neste processo de envelhecimento, quando comparado a atletas que treinaram por toda a vida.

Eu mesmo já escrevi em artigo anterior sobre longevidade, que os atletas em processo de envelhecimento passam pelo tempo de forma diferente quando comparado aos sedentários. Os atletas ‘envelhescentes’ possuem muito menos gordura corporal, tem corações mais fortes, tomam bem menos medicamentos, tem maior massa corporal e gastam bem menos dinheiro com consultas médicas e hospitalares.

Os relatos do não compromisso com a saúde e os por quês são vastos…compromissos com trabalho e família, desinteresse, problemas de saúde, preguiça, procrastinação entre outros são os principais motivos para o desleixo com a saúde. Mas aos poucos esta realidade está mudando!

No estudo ainda foi apresentado que somente após 10 anos de exercício, os envelhescentes que mantiveram regularmente sua atividade física pelo menos de cinco a seis vezes por semana quando comparado aos que realizaram atividade física por toda a vida tiveram praticamente os mesmos parâmetros de saúde, tendo uma única diferença. A densidade óssea destes praticantes de atividade física tardio era menor do que os que realizaram atividade física pela vida inteira, mostrando que isso pode fazer uma diferença lá na frente quando pensamos em saúde do osso, principalmente quando pensamos na coluna. Este resultado mostra que é possível recuperar o tempo perdido e sendo até possível acompanhar aqueles que treinaram por décadas nos parâmetros de saúde fisiológica.

Eu apesar de adorar trabalhar com este público, tenho vários alunos nesta faixa etária, sei que os envelhescentes são obstinados e nunca faltam aos treinos quando pegam gosto. Sabem o que querem. Já possuem a experiência de vida que os fazer saber qual é o caminho certo tendo o devido comprometimento com a sua saúde e afirmando o que diz este estudo , pois seja qual for a nossa idade, talvez não seja tarde para ser o que você gostaria de ser, para se tornar mais saudável, e se assim você quiser, se tornar s novos atletas da envelhescência. Até a próxima!