Anvisa aprova restrição na venda de cigarros

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou ontem proposta de resolução que traz novas regras de exposição e comercialização de cigarros e outros produtos derivados do tabaco, ou seja, os locais de venda deverão manter a maior distância possível entre os maços de cigarro dos produtos destinados ao consumo do público infanto juvenil, como balas e chocolates. A resolução será publicada nos próximos dias.
 
Os comerciantes também não poderão colocar nenhum recurso de marketing adicional, como cores, sons, iluminação direcionada, entre outros, aos mostruários ou vitrines que expõem as embalagens de cigarro. “Não acredito que as vendas serão prejudicadas. Vendo cerca de 100 maços por dia e quem compra não vai parar por ver menor publicidade da sua marca preferida”, afirmou Maurício Setten, proprietário de uma loja de conveniência na Paulista. 
 
Para o representante da Aliança para o Controle do Tabagismo e Promoção da Saúde (ACT), Rafael Arantes, a regulamentação é necessária “para evitar abusos por parte da indústria”. Arantes chamou a atenção para a obrigação do Brasil em seguir a Convenção Quadro para o Controle do Tabaco, acordo internacional ratificado pelo país há mais de dez anos e que prevê no Artigo 13º o banimento de qualquer forma de publicidade.
 
Em nota, a Abifumo (Associação Brasileira da Indústria do Fumo), diz que é “operacionalmente inviável que os expositores fiquem fora da área do caixa em supermercados, padarias ou outros estabelecimentos que comercializam cigarro”. Os produtores alegam que o caixa é mais seguro para evitar o contato direto dos jovens com os produtos.