Após 2 anos de queda, consumo de energia em SP fecha 2017 em alta de 1,9%

Após dois anos de queda, o consumo de energia do Estado de São Paulo fechou 2017 em alta de 1,9%, comparado a 2016, puxado principalmente pelo aumento de 2,2% do consumo da indústria, responsável por 37% do mercado de eletricidade paulista, informou a Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo. O consumo residencial subiu 2,3% no mesmo período, enquanto o consumo do comércio avançou 1%.

Em 2017, a energia elétrica utilizada pelo Estado totalizou 129.483 gigawatts/hora (GWh), contra 127.065 GWh em 2016. São Paulo tem mais de 18 milhões de unidades consumidoras, sendo cerca de 90% residências, que consomem 30% de toda a energia distribuída.

O resultado de 2017 também foi influenciado pela performance de dezembro, quando a alta do consumo atingiu 4% contra o mesmo mês do ano passado, informou a secretaria.

O setor industrial consumiu em dezembro cerca de 4.073 GWh, uma alta de 5,9% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O setor havia diminuído o seu consumo no Estado em 4,9% em 2016 e 6,4% em 2015. Já a classe residencial teve alta de 3% no último mês do ano, com 3.325 GWh consumidos, e o comércio, que representa 22% do consumo do Estado, subiu 3,3%, ou 2.472 GWh consumidos.

“Mesmo com a bandeira tarifária ficando na maior parte do ano nas cores amarela e vermelha, a retomada da atividade econômica e da confiança fizeram com que as pessoas e as empresas voltassem a consumir energia, que é um dos principais termômetros da economia”, explicou o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles.

A secretaria informou ainda, que os demais setores (rural, iluminação pública, poder público, serviço público e consumo próprio) correspondentes a 11% do total, consumiram 14.797 GWh em 2017, volume que representou um aumento de 2,2% em relação ao ano anterior. (