Após 50 dias, Hospital Ilumina ainda não atende ao público

Unidade tinha a promessa de já iniciar o acolhimento, no entanto, estão sendo feitos ajustes internos. (foto: Amanda Vieira)

Inaugurado há 54 dias, o Hospital Ilumina de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Piracicaba segue sem atendimento ao público. A unidade foi inaugurada no dia 23 de maio com a promessa de iniciar o acolhimento à população dias depois.

Por meio da assessoria de imprensa, a Fundação Ilumina informou ontem que as atividades seguem acontecendo normalmente, incluindo o rastreamento ativo e outros atendimentos na Unidade Móvel Ilumina (carreta) e projetos do braço de Educação.

Segundo o setor de comunicação, ainda estão sendo realizados ajustes internos de obra necessários para melhor atender à população, ‘visto se tratar de um projeto bastante complexo do ponto de vista operacional.

Outra justificativa apresentada pela direção do Ilumina que a equipe de profissionais que atuará no hospital – formada por mais de 60 pessoas – segue passando por treinamentos

A Fundação Ilumina informou que, em 2019, foram realizadas quase 2 mil consultas e 4 mil mamografias; 

‘Orientamos a população que continue recebendo em suas residências nossa equipe de agentes comunitários, compareça no dia e horário agendado para o exame de mamografia e também aproveite o novo serviço gratuito oferecido em nossa Unidade Móvel (que não precisa de agendamento prévio), o exame preventivo de câncer de boca’, informou a fundação em nota.

Questionaa sobre a previsão para que início do atendimento no hospital, a médica Adriana Brasil, idealizadora do projeto Ilumina informou que será o mais rápido possível, mas não há uma data definida.

“Temos trabalhado arduamente neste sentido, mas temos optado por não dar um prazo para não frustrar expectativas novamente. Garantimos que isso acontecerá o mais rapidamente possível, uma vez que inclusive a folha de pagamento já está correndo normalmente”, informou ir meio da assessoria de imprensa.

A Secretaria de Saúde de Piracicaba foi procurada para comentar o assunto mas não se manifestou.

Beto Silva
beto.silva@jpjornal.com.br