Após divergências, a “Era Sampaoli” chega ao fim

Treinador argentino encantou pelo bom futebol; problemas com o presidente encerram sua passagem. (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A “Era Jorge Sampaoli” chegou ao fim na noite de terça-feira (10), após longas e desgastantes reuniões entre o técnico argentino e a diretoria do Santos Futebol Clube, agora seu ex-clube. O Alvinegro, através de sua assessoria de imprensa, disse que após uma reunião realiza no CT (Centro de Treinamento) Rei Pelé, o agora ex-treinador pediu demissão do cargo. Sampaoli foi o único técnico da equipe na temporada 2019, levando a equipe ao vice-campeonato brasileiro e a semifinal do Campeonato Paulista.

A passagem do argentino ao clube da Vila Belmiro começou no último mês de dezembro, quando foi contratado após frustrante passagem pela Seleção Argentina, eliminada nas oitavas de final da Copa do Mundo. Sampaoli foi elogiado no começo de seu trabalho em razão de sua característica de jogo, com a equipe sempre buscando a posse de bola e jogando de forma ofensiva, o popular “amor pelo balón” como apelidou a torcida santista.

O Santos não conquistou títulos em 2019, mas fez uma bela campanha no Campeonato Brasileiro e no Paulista, em que foi segundo e quarto colocado, respectivamente. Entretanto, o time deu vexame nas outras competições eliminatórios, como a derrota para o Atlético-MG nas oitavas da Copa do Brasil, e, principalmente na Copa Sul-Americana, quando foi eliminado pelo modestíssimo River Plate-URU.

Em relação a contratações, alguns jogadores pedidos por Sampaoli chegaram e deram conta do recado, como Marinho (€ 1 milhão), Jorge (empréstimo), e principalmente Yeferson Soteldo (€ 3,05 milhões), apontado para alguns como o principal destaque santista em 2019. Em relação aos erros, alguns que custaram caro, como Fernando Uribe (€ 1,15 milhão), Felipe Aguilar (€ 3,50 milhões), e principalmente Christian Cueva (€ 6 milhões), já que foram atletas que custaram caro aos cofres da equipe e que deram pouquíssimos retorno técnico a equipe.

No total, Sampaoli dirigiu a equipe em 64 oficiais, obtendo 35 vitórias, 14 empates e 15 derrotas, obtendo 61,97% dos pontos disputados. Entre os principais jogos da equipe em 2019, está a goleada diante do campeão brasileiro e continental Flamengo pelo placar de 4 a 0, e as vitórias nos clássicos diante do Palmeiras (2 a 0) e Corinthians (1 a 0, duas vezes).

Nos últimos dias, técnico e diretoria (que nunca se deram bem) não chegaram a um acordo, já que o treinador pediu um investimento de R$ 100 milhões para a próxima temporada, e retirar a multa contratual de sua comissão técnica, exigências que foram negadas pelo presidente José Carlos Peres, culminando em sua saída. Recentemente, o técnico atraiu interesse do rival Palmeiras e do Racing-ARG, porém os altos salários pedidos pelo treinador tem dificultado um possível negócio.

PALMEIRAS

Após ouvir as recusas de Marcelo Medeiros (Internacional) e Diego Cerri (Bahia), o Palmeiras anunciou na tarde de ontem o nome do novo diretor de futebol. O escolhido pela diretoria é Anderson Barros, que se desligou recentemente do Botafogo. Barros possui 25 anos de experiência e seus times conquistaram seis títulos durante sua gestão, sempre sendo títulos estaduais: Cariocas de 2004 (Flamengo), 2010 e 2018 (ambos com o Botafogo), Catarinense de 2006 e 2008 (Figueirense) e Baiano de 2006 (Vitória).

Mauro Adamoli

[email protected]