Após doação, menina que cortou cabelo realiza sonho e ganha curso

A história da menina Thayla Lima de Souza, de 8 anos, que doou o cabelo para a confecção de perucas destinadas a pacientes com câncer, criou uma rede de solidariedade na internet. A garota abriu mão do sonho de fazer um curso de inglês para ajudar pessoas com a doença do Instituto Ilumina, porém os responsáveis por uma escola de idiomas viram a publicação na página do Facebook do Jornal de Piracicaba e ofereceram uma bolsa de estudos.
 
A boa ação de Thayla foi contada pelo JP no domingo (28), em matéria na edição impressa e vídeo divulgado na página do matutino, em que a coordenadora geral de projetos da Ilumina, Adriana Brasil, destacou a importância da iniciativa. Só no Facebook foram mais de 40 mil pessoas alcançadas e mais de 200 compartilhamentos, formando uma corrente solidária, com várias escolas de idiomas oferecendo cursos para a criança, além de internautas parabenizando o gesto.
 
A família da menina ficou surpresa com a repercussão e, mais ainda, com tantas empresas e pessoas dispostas a ajudar. “Nossa intenção com a divulgação era incentivar mais gente a fazer o mesmo. De quebra, a Thayla ganhou um curso que ela queria muito fazer e ficou extremamente feliz” conta a operadora de caixa Marilene Souza. A menina começa as aulas hoje.
 
Foi Denise Maria Neves que entrou em contato com a família e ofereceu o curso. “Estávamos muito felizes com a atitude e a nossa forma de ajudar foi dando a bolsa de estudos para que ela se sinta motivada a influenciar outras pessoas com o mesmo gesto. Foi emocionante”, disse a assistente comercial da escola de idiomas, localizada no bairro Cidade Jardim.
 
A associação beneficiada com a doação de Thayla já era conhecida dos responsáveis pela escola de idiomas. “Nossa administradora já doou o cabelo também para a Ilumina há cerca de dois anos, isso nos sensibilizou mais ainda”, afirma Denise.
 
Além do curso e do material didático, a menina receberá aulas de um professor particular, para que não fique defasada em relação aos colegas de turma. Logo na manhã de ontem, Thayla e sua família já estava na escola para conhecer o local, ajustar os horários e acertar a documentação.
 
Para os envolvidos na história de solidariedade, o sentimento que é de gratidão. “Aprendemos que quanto mais bem você faz, mais bem você recebe”, resume Marilene. “Presentear a Thayla foi para mostrar a ela que vale a pena a compaixão, que cabelo cresce, que as oportunidades estão a nossa volta o tempo todo. Acreditamos que este ato a motivará a incentivar outras pessoas em vários projetos. Afinal, isso é só o começo”, diz a assistente comercial.