Após percorrer 12 escolas, cobertura vacinal sobe para 61%

vacina Cobertura atingiu 61,86% (polio) e 60,7% (sarampo). (Foto: Amanda Vieira /JP)

No primeiro dia da Força Tarefa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo, a Secretaria de Saúde percorreu 12 escolas e creches municipais e ampliou a cobertura vacinal de 50% para 61%, com a imunização de mais 182 crianças que ainda não haviam sido vacinadas. A campanha segue até dia 31, com o objetivo de atingir 18 mil crianças, que representa 95% da meta prevista pelo Ministério da Saúde.

Na próxima segunda-feira (27), a ação especial da prefeitura estará em 14 unidades escolares, sendo, de manhã, em Santa Teresinha (escolas Maria Canale Angelelli, Oracy da Silva e Francisca Guiomar Aliberti Longo), na Vila Sônia (Dezolina Pires Baltier, Profa. Beatriz Aparecida Defante e Antonio Boldrin) e no Centro (Dona Maria Guilhermina Lopes Fagundes); e à tarde no Vem Viver (Prof. Haldumont Nobre Ferraz), Vale do Sol (Prof. Maria Apparecida Lordello Beltrame), Cecap (Osvladir Julio), Jardim Algodoal (Prof. Miecio Cavalheiro Bonilha), Jupiá (Profa. Mariza Elvira Ell Faganello), Vila Industrial (Profa. Bernadete de Fátima Oliveira) e Mário Dedini (Prof. Luiz Siqueira).

Até dia 22, conforme informou a VEM (Vigilância Epidemiológico Municipal), foram vacinadas 11.372 crianças contra a paralisia infantil e outras 11.158 contra o sarampo (SRC). A cobertura vacinal atingiu 61,86% para a polio, com 2.586 crianças de 1 ano vacinadas, 2,826 com dois anos, 3.069 com 3 anos, e 2.891 com 4 anos; já a de sarampo atingiu 60,7% com 2.486 crianças de 1 ano vacinadas, 2.797 com 2 anos, 3.025 com 3 anos e 2.850 com 4 anos.

Segundo a prefeitura, nesta campanha, todas as crianças devem ser vacinadas, indiscriminadamente, mesmo aquelas que já tenham registro na carteirinha dessas vacinas e, apesar da Força-Tarefa, durante a semana, todos os postos de saúde da Atenção Básica atendem, das 8h às 15h (UBS e Crab) e das 8h às 16h (USF), exceto o Crab Paulista.

De acordo com o secretário de Saúde, Pedro Mello, é de extrema importância que as mães e os pais se sensibilizem e levem seus filhos para serem imunizados contra essas duas doenças. “A única forma de prevenir com segurança a poliomielite e o sarampo é a vacinação. Ambas são doenças graves. Enquanto a paralisia infantil prejudica o desenvolvimento da criança para o resto da vida, a segunda pode levar à morte. Não se deve deixar levar com falsas informações de que a vacina traz risco para a saúde”, enfatizou.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, “não há registro de casos de paralisia infantil em SP há 30 anos e, desde 2000, não existem casos autóctones de sarampo no Estado”.

(Felipe Poleti)