,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Regina Volpato volta à TV aberta após 5 anos
  • As herdeiras do mundo da moda
  • Rio perde dois patrimônios de sua cultura

O trânsito no centro da cidade
Fortunato Losso Netto
20/09/2017 15h09
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Agora que estão passando as festas natalinas, acredito que a Coordenadoria de Transportes, que está sob o comando do sr. Luiz Antonio Lopes Fagundes, vai colocar em pauta as esperadas modificações no trânsito do centro da cidade. Assim como está, conservando as desastrosas resoluções provenientes da reforma da Praça José Bonifácio é que não podem continuar.
 
Especialmente no trecho envolvido pela Catedral, não se entende o bloqueamento da rua Moraes Barros, com o fechamento à frente do templo e mais absurdamente ainda, na frente do Supermercado Pão de Açúcar. Quem vem da rua XV de Novembro poderia entrar na lateral da Catedral e dirigir-se diretamente para a Moraes Barros. O calçadão que se fez no trecho somente está servindo para o Pão de Açúcar fazer montanhas de cestas de entrega na calçada, e de outro lado, para a construção de dois monstrengos, à guisa de casas vendedoras de frutas. Os veículos que demandam à rua Moraes Barros têm que descer à rua Alferes, hoje sempre congestionada, e depois rodear a Catedral num trajeto absolutamente indefensável.
 
Há um pedido na Câmara Municipal para a abertura da rua Moraes Barros à frente da Catedral, em um semi-círculo, que tem muitos defensores. É que o acesso à Catedral para atos que necessitam de transporte, como casamentos e atos fúnebres, que facilitariam o acesso ao templo.
 
Mas não é somente no centro da cidade que estamos esperando a ação da Coordenadoria de Transportes: Existe um desejo de reformulação geral no trânsito da cidade. Não bastam as faixas pintadinhas. Na Avenida Armando de Salles Oliveira a permanência do largo trecho viário sem ilhas de proteção é aspiração unânime da população. Houve um projeto de guias móveis que nos parecem solução inviável. O pedestre precisa de segurança ao transitar pelas vias públicas e na Armando de Salles Oliveira nos parece que tal requisito não está sendo atendido.
 
O problema do trânsito na Praça José Bonifácio foi muito mal formulado, quando da sua reforma geral. Decorreram muitos meses, que somente provaram que a proposta foi infeliz. Não há mal nenhum em reconhecer o erro: antes, é medida de sabedoria corrigir o que foi mal formulado.
 
Persistir no erro é que não se admite. Mesmo porque há razões gritantemente evidentes para que se reformule o trânsito, mormente em volta da Catedral, formando um labirinto e encompridando distâncias inteiramente ao arrepio das normas de racionalidade e economia que devem imperar em todo serviço de trânsito viário. 
 
Republicação dos artigos de Fortunato Losso Netto, em homenagem ao seu centenário de nascimento (1910-2010). Texto publicado originalmente em 27 de dezembro de 1983.

Fortunato Losso Netto

Foi médico, jornalista, diretor e proprietário do Jornal de Piracicaba


 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar