Aruk

A reportagem assinada por Cristiani Azanha na página A7 é para deixar o domingo do leitor um pouco mais leve. Ela conta a relação de amizade entre o pastor belga de malinois Aruk e Youssef Tannous Tanche Junior, cabo da Polícia Militar. Depois de oito anos de trabalho, o cão irá se aposentar, pois sua idade é a de 60 anos, se comparada a de humanos.
 
Depois da aposentadoria, nada mais justo que Aruk fique aos cuidados de Youssef, que lhe acompanhou em várias operações. Ainda não se sabe quem será o substituto do animal para colaborar com o trabalho da polícia, embora tudo indique que a função fique com Hanna, filha de Aruk.
 
Não são poucas as ocasiões em que Aruk esteve nas páginas do <BF>JP<XB> para ilustrar matérias de ocorrências da Polícia Rodoviária, Receita Federal e das polícias Civil e Militar. Em novembro, por exemplo, ele ajudou a localizar uma sacola com 391 porções de cocaína, 11 trouxinhas de maconha e até uma quantia em dinheiro que estava enterrada no jardim de uma residência, em Capivari. Na ocasião, o cão conseguiu localizar um ponto no jardim na casa de um dos suspeitos, onde estava enterrada uma parte do entorpecente e também cerca de R$ 540, que estavam no interior do imóvel. 
 
Em agosto do ano passado, seu trabalho foi essencial durante operação em chácara no Pau d‘Alhinho, usada para distribuição e refino de drogas. Na ação, foram presos três homens e uma mulher e apreendida uma adolescente por tráfico e associação ao tráfico. 
 
No Santa Fé, em novembro, Aruk colaborou para que a Dise apreendesse 957 porções de maconha, crack e cocaína, além de pedras brutas de crack, 400 gramas de cocaína a granel, mais meio tijolo de maconha e 18 mil microtubos vazios.
 
Além dessa árdua rotina, Aruk também leva diversão, quando preciso. No início de dezembro ele alegrou a festa de Natal da Vaccipi (Voluntários em Ação Contra o Câncer Infantil de Piracicaba), demonstrando truques de adestramento.
 
O cabo Youssef diz que Aruk pode ser considerado um cão completo. Portanto, nada mais justo do que o merecido descanso de quem contribuiu de forma incansável com a segurança da cidade e da região.