As mídias sócias na mudança do seu comportamento saudável

Não sei você, meu caro leitor e leitora, mas eu costumo lidar com muitas pessoas, das mais variadas faixas etárias e vejo a cada dia  várias delas  em busca de uma vida mais saudável por meio das mídias sociais e de seus “influencers”. A atual cultura do bem-estar faz as pessoas cada vez mais buscarem a nova tendência da moda, que pode ser a dieta paleo, a dieta planted based, a dieta cetogênica, os programas de HIIT, o suco de aipo para o emagrecimento e assim vai. E  muitos somente  acreditam nas celebridades postando os seus corpos sem falhas, celulites, gordurinhas,  mas sempre com filtros e ‘photoshopados’.

Com isso, tem surgido uma nova doença que tem preocupado muitos profissionais de saúde, entre eles, os nutricionistas e médicos, a tal da ortorexia. Já ouviu falar? Esta doença é um transtorno alimentar de pessoas que estão preocupadas com a obsessão pela saúde, bem-estar e, principalmente, o emagrecimento.  Além disso, muitos do que possuem esta doença, mas ainda não sabem, restringem alimentos e aumentam seus exercícios podendo causar danos ao organismo, além dos psíquicos. Em um mundo onde carboidratos, gorduras, laticínios e trigo mesmo entre os que não possuem sensibilidade são demonizados, a ortorexia surge como uma doença do mundo ocidental moderno e atual.

Há de se atentar para outro fato: atualmente grandes autores do comportamento humano relatam que estamos vivendo a era da desinformação viral, pois qualquer informação, mesmo sem comprovação científica, é vista em meio digitais para corroborar com aquilo que se quer passar ou vender.  Já existem até “religiões” pregando o comer limpo e saudável, como uma facilitação para serem mais puros, divinos e próximos de DEUS.  E quanto mais “saudável”, maior o seu grau de “pureza”.

Na contrapartida deste transtorno, médicos explicam que a ortorexia muitas vezes têm a ansiedade e o transtorno obsessivo-compulsivo como pano de fundo para aquele medo doentio de ficar obeso, aumentar o peso, estar fora de forma e não se sentir saudável.

Em um mundo frente a tantas escolhas e pautado naquilo que devemos muitas vezes ser pelo olhar do outro, ou naquilo que queremos mostrar para “ser”, achar a moderação nas escolhas nunca foi tão difícil para estas pessoas. Se você está vendo alguém onde a comida se tornou uma fixação que afeta o dia a dia da pessoa, ou vê que a pessoa descarta alimentos que necessariamente são tidos como “saudáveis” talvez seja a hora de procurar ajuda ou conversar com esta pessoa. E também muito cuidado com o que você vê nas suas mídias sociais. Muitos deles vivem da imagem que vendem, mas que necessariamente não quer dizer que sejam saudáveis em todos os âmbitos do comportamento humano. Equilíbrio sempre foi a chave para o sucesso. Procure orientação sempre de um profissional para não ficar perdido com tantas informações.  Até a próxima!