Asfalto na rodovia SP-304 tem buracos e deformações

Entregue há 23 dias — e às vésperas do início da campanha presidencial do agora governador licenciado, Geraldo Alckmin (PSDB) —, a duplicação da rodovia Geraldo de Barros (SP-304), que liga Piracicaba a São Pedro, já começa a apresentar problemas para os motoristas. Conforme apurou a reportagem do JP, ao longo do novo trecho existem desníveis no acostamento, buracos na pista, e acostamento com asfalto desfazendo.
 
O Governo do Estado de São Paulo investiu, neste trecho, R$ 47,5 milhões para executar os serviços de duplicação, reforma da pista já existente, pavimentação dos acostamentos, melhorias na sinalização e no sistema de drenagem, do km 179 ao km 189, entre os municípios de Piracicaba, São Pedro e Águas de São Pedro. Conforme apurou o JP, já existem buracos, remendos e desníveis no acostamento ao logo dos kms 182, 183 e 185. Por meio de nota, a assessoria do DER (Departamento de Estradas de Rodagens) informou que fará uma vistoria no trecho da SP-304 mencionado pela reportagem e “se forem constatados problemas na execução das obras, notificará a construtora para refazer o serviço”.
 
Outro ponto da SP-304 problemático é entre Ártemis e Piracicaba, cujas obras seguem até Americana. Os trabalhos começaram em dezembro de 2017 e, por hora, aparentam estar “paralisados”, já que não existem máquinas na pista, bem como a recuperação aconteceu em apenas uma das faixas, em ambos os lados. No km 178, em trecho recém-asfaltado, já existem diversas deformações e muitos buracos e imperfeições no asfalto novo, que também seguem ao longo dos kms 177, 176 e 175, sendo este último com um buraco — entre as duas faixas principais de rolamento — com mais de um metro de diâmetro.
 
Esta semana, o vereador Dirceu Alves (SD) também constatou problemas — e comunicou a reportagem — no trecho entre Santa Teresinha e o Parque Piracicaba, entre os kms 170 e 171, próximo à lombada e ao radar eletrônico. A recuperação da rodovia parou em trecho de 30 metros, com grandes ondulações, desnível na pista e sem sinalização em algumas partes.
 
Neste caso, o DER explicou que “as obras não estão concluídas” e que os serviços previstos no trecho “são de revitalização do pavimento (conservação especial), que será feito em etapas”. O órgão disse que o trabalho está sendo executado do início do trecho na rodovia Anhanguera, no km 120, até o final do trecho em Ártemis, no km 179. “Também será executada, após essa etapa, a recuperação da faixa onde há maior circulação de veículos leves, além da fresagem e reposição da camada de rolamento”.