Atletas transplantados participam da 3ª edição

Luciane de Lima e seu esposo e doador de rim, Antônio Carlos Lisboa (Foto: Arquivo pessoal)

A 3ª Corrida Pela Vida acontece neste domingo (15), com largada marcada para as 8h, da avenida Renato Wagner, com percurso de 5 km tendo como foco principal a conscientização sobre a importância de ser um doador de órgãos. Este ano, a corrida conta com a participação especial de corredores que se tornaram atletas profissionais após passarem por um transplante.

Nesta edição, o evento terá entre os participantes a advogada Luciane de Lima, que acaba de chegar de uma competição internacional, o Mundial em Newcastle-ING, que aconteceu de 17 a 24 de agosto, em que participou da modalidade de 5 km (12° lugar), 1500m e 400m com o 8° lugar.

A advogada descobriu aos 33 anos, durante uma consulta cardiológica e após passar por várias intercorrências por quase um ano, que sua creatinina estava em 8.9 mg/dL (o normal em mulheres é entre 0,5 a 1,1 mg/dL) e que sua função renal estava em 15%. “Tentaram alguns dias fazer a função do rim voltar, mas o quadro só piorou e fui diagnosticada com insuficiência renal. Comecei fazer hemodiálise e neste período a médica orientou buscar alguém da família para ser um doador. Meu esposo imediatamente disse que doaria o rim. Tenho três irmãos e na época não acreditava que ele poderia ser meu doador”, disse.

Seus irmãos não eram compatíveis e assim quis o destino, ou a medicina, que seu esposo Antônio Carlos Lisboa, fosse seu potencial doador. Em junho de 2014, foi realizado o transplante e quando a cirurgia terminou, Luciane foi informada que o rim estava em pleno funcionamento, e em pouco tempo o corpo havia eliminado três litros de urina. “Foi o presente mais valioso de Dia dos Namorados, pois minha cirurgia aconteceu dia 11 de junho”, lembra. “Tenho muito a agradecer a Deus e, sobretudo, ao meu esposo pela oportunidade de ter uma nova vida”.

Em 2016, Luciene morava em Sorocaba e recebeu um convite para participar de um grupo de corrida. De lá pra cá não parou mais. Em 2017, participou dos Jogos Internacionais de Transplantados, e passou a fazer parte do Time de Atletas Transplantados, da qual é organizada no Brasil pela ABTX (Associação Brasileira de Transplantados), que tem como presidente, Edson Arakaki, que é transplantado e também estará na 3ª Corrida pela Vida.

“Em outubro de 2018, participei com a equipe brasileira, dos Jogos Latinos, da modalidade de 5km, e ganhei bronze, dos 400×400 fui prata, e 800 bronze novamente. E agora em agosto, fomos para a Inglaterra disputar o Mundial, onde tive a oportunidade de participar com meu esposo Antônio Carlos, já que o evento prestigia a participação do doador também”, disse.

A 3ª Corrida Pela Vida é organizada pela enfermeira Jacqueline Defavari Bonilha de Moraes, coordenadora da CIHDOTT (Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgão e Tecidos para Transplante) da Santa Casa. A mobilização integra a 8ª Campanha de Doação de Órgãos que o Hospital realiza por meio da CIHDOTT, que registrou cerca de 1.550 doações de córneas e múltiplos órgãos nos últimos dez anos. “Cada doador de múltiplos órgãos ajuda até dez pessoas, enquanto um doador de córneas possibilita que duas pessoas voltem a enxergar”, lembrou a coordenadora.

Os inscritos para a corrida têm direito a uma camiseta, mediante doação voluntária de um pacote de fralda geriátrica G ou GG. No entanto, quem não conseguiu se inscrever também é convidado a participar mesmo sem a camiseta oficial. As camisetas devem ser retiradas até sexta-feira (13), das 10 às 15 horas, na Área de Convívio (Descansoteca) do Hospital, mediante apresentação do RG.