Atriz que viveu em Piracicaba inspira peça teatral

As apresentações ocorrerão no Teatro Alfredo Mesquita, de 6 a 15 de dezembro, sextas e sábados, às 21h e domingos às 20h e em São Paulo (foto: Silas H)

É bem provável que o pessoal do teatro musical de hoje nunca tenha ouvido falar em seu nome. No entanto, pesquisadores do gênero conseguiram recuperar parte da memória cultural brasileira e colocaram foco em Lyson Gaster. Para homenagear a atriz e cantora nascida na Espanha e criada em Piracicaba, depois naturalizada brasileira e que se consagrou nas décadas de 1920 a 1948, a peça Lyson Gaster no Borogodó faz duas temporadas em São Paulo de 6 a 15 de dezembro no Teatro Alfredo Mesquita e de 18 de janeiro a 15 de fevereiro no Teatro Itália.

O espetáculo tem a proposta de retratar aspectos da vida da atriz Lyson Gaster, revigorando fatos importantes dos palcos brasileiros e resgatando parte da história cultural do País. Piracicabano, o produtor e mestre em teatro Marcos Thadeu alimentava o desejo de montar um espetáculo sobre Lyson Gaster há mais de 20 anos, quando foi apresentado à história da artista pelo diretor Carlos ABC, também piracicabano. Assim, tratou de encomendar a pesquisa para montar “um genuíno musical brasileiro.”

LYSON GASTER

Filha de imigrantes espanhóis que chegaram em Piracicaba no final do século 19, casou-se ao 17 anos e logo teve filhos. Separada, mudou-se para São Paulo com os pais e trabalhou como modista num ateliê da rua Conselheiro Crispiniano, onde conheceu artistas de teatro que a levaram para o palco. Pisou no tablado pela primeira vez em 1919, na época dos discos de 78 rotações, adotando o nome artístico que tomou emprestado de uma personagem de um romance francês. Ligou-se a várias companhias de teatro, com as quais viajou pelo Interior de São Paulo. Casou-se novamente em 1922, com Alfredo Viviani. Com o marido, montaram a própria companhia, a Companhia Lyson Gaster, onde o teatro de revista era o ponto forte. Era a época de Dercy Gonçalves, Oscarito, Henriquieta Brieba, Zilka Salaberry e Mara Rúbia, entre outros. Lyson naturalizou-se brasileira nos anos 40 e deixou o teatro em 1950. Viviani foi contratado pela Rádio Nacional, onde permaneceu em atuação até 1963.

SERVIÇO

Teatro Alfredo Mesquita, de 6 a 15 de dezembro, sextas e sábados, às 21h e domingos às 20h, na avenida Santos Dumont, 1770 – Santana, São Paulo – SP. Ingressos R$ 10,00 e R$ 20,00. Livre. Musical. Teatro Itália, de 18 de janeiro a 15 de fevereiro de 2020. Quintas a sábados às 21h e domingos às 19h, na avenida Ipiranga, 344, República. Ingressos R$ 15,00 e R$ 30,00.

Da Redação