Audiência discute pulverização de agrotóxicos

Gaema Gaema propõe uso de equipamento de monitoramento. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Audiência pública realizada ontem pelo Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente),para discutir a pulverização aérea de agrotóxicos em Piracicaba e os efeitos dessa prática aos animais, ecossistema e à população reuniu representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, sindicatos ligados à atividade, universidades e associação de estudos das abelhas. Durante a reunião, no prédio Ministério Público, foi discutida a utilização do DGPS (Sistema de Posicionamento Global Diferencial). De acordo com o promotor Gaema, Ivan Carneiro Castanheiro, o uso dessa tecnologia é usado no Mato Grosso do Sul. O equipamento acusa quando o avião sai da rota determinada durante a pulverização e os dados são avaliados por um comitê formado pelos setores envolvidos que, ao final, farão o julgamento quanto a eventuais erros.

De acordo com o promotor, todos os presentes à audiência – com exceção da Única (União da Agroindústria Canavieira) do Estado de São Paulo – aderiram à proposta. Castanheiro disse que a entidade alegou já ter assinado um protocolo com o governo do Estado que, segundo o promotor, é voluntário e pode ser rompido a qualquer momento. O promotor informou que não foi definido um novo encontro do grupo, mas a audiência de ontem terá desdobramentos até a elaboração de uma minuta com todas as propostas.

A promotora do Gaema, Alexandra Faccioli Martins disse que a reunião propiciou oportunidade dos diversos segmentos se manifestarem em relação a uma criação de um protocolo de boas práticas em relação a pulverização aérea, de forma a evitar que ocorram prejuízo aos apicultores e à própria biodiversidade.

“O setor produtivo informou que já tem um protocolo com diretivas em que cumpre boas práticas. A discussão é se as boas práticas do setor são suficientes para atender a demanda da biodiversidade, para tender aos problemas relatados pelos apicultores”, afirmou Alexandra.

(Beto Silva)