Aumenta em 3 vezes procura por certificado internacional de vacina

A procura pelo Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) triplicou em Piracicaba após a epidemia de febre amarela pelo qual o Estado de São Paulo enfrenta desde o final de 2017. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, antes do crescimento da procura pela vacina contra a doença, eram emitidas, em média, de 30 a 50 certificados por dia, pela UBS Vila Independência e, somente na última semana esse número passou a 150 por dia.
 
A partir de sexta-feira (2), para conseguir o certificado o cidadão precisará apresentar um comprovante de viagem internacional aos países que exigem o CIVP, ou realizarão conexão em um desses países. A medida segue orientações da Anvisa (Agência Nacional de Saúde). “Essa medida tem como objetivo preservar o atendimento aos cidadãos brasileiros que, de fato, precisam do CIVP, uma vez que ele é necessário apenas aos viajantes com destino internacional a países que requerem a comprovação da aplicação da vacina contra a febre amarela”, diz a Anvisa.
 
A decisão da Agência, de priorizar a emissão do documento, vigora desde julho do ano passado. “Precisamos ser criteriosos nesse momento para evitar tensão nesse setor que sempre funcionou com regularidade. As pessoas estão aproveitando o fato de estarem tomando vacina contra febre amarela para tirar o certificado, sem precisarem do documento. E isso desequilibra nossa capacidade de atendimento na unidade”, explicou a enfermeira Cibele Melo dos Reis, responsável pelo setor de vacinas do município.
 
Para Pedro Mello, secretário de Saúde, há um número de protocolo de atendimento da Anvisa que garante ao município segurança para a medida. “Em caso de dúvida sobre a nova regra, a pessoa pode ligar para a Agência é dar o número 2018037612 e se certificar de que a regra vale para todos os municípios brasileiros”, explicou.
 
Mello lembrou que o comprovante de viagem pode ser a própria passagem, o comprovante de pagamento da mesma ou o voucher, que é o vale ou cheque que assegura um crédito para futuras despesas com mercadorias ou serviços em viagem internacional. O secretário explicou que o CIVP é um documento que comprova a vacinação contra a febre amarela, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional. “A lista com os países que exigem o Certificado está disponível na internet no site da OMS.”