Bandidos invadem casa na Vila Rezende e morrem em troca de tiros

A Polícia Militar acabou com a sequência de crimes que dois homens vinham fazendo pela cidade. Na tarde de ontem, Phamerton Deivid Guimarães Barbosa, 24, e Vitor Pedro Carrara Neto, 17, foram mortos após trocaram tiros com PMs dentro de uma casa no bairro Vila Rezende, onde praticavam furto. De acordo com os policiais que participaram da ocorrência, os ladrões tinham diversas passagens pelo crime de roubo e furto à residência, sendo que o adolescente havia sido capturado e solto — pelo mesmo crime — há menos de uma semana. Também estiveram no local a perícia e Polícia Civil.
 
De acordo com a PM, um dos vizinhos da casa — que fica na esquina das ruas Dona Santina e Athaualpa Vaz de Mello — ligou para o 190 e fez a denúncia por suspeitar da presença de bandidos na residência, já que os moradores estavam viajando. A primeira equipe a chegar foi a Rocam da 5ª Companhia, que solicitou apoio antes de entrar na residência. “Com a chegada do reforço, os PMs entraram na casa por um portão basculante que já estava entreaberto e foram fazendo progressão até que, no último cômodo da casa, os policiais se depararam com os criminosos com armas em punho”, afirmaram os policiais. 
 
Ainda, segundo os PMs, os criminosos dispararam contra eles, que revidaram e, na troca de tiros, os dois bandidos foram atingidos. Logo em seguida, foi acionada a ambulância para socorro dos suspeitos, que chegou ao local quando eles já estavam mortos. “Não conseguiram consumar o crime de furto. Na casa não havia ninguém e não houve outras vítimas”, completaram os PMs.
 
Segundo a Polícia Militar, os dois indivíduos já eram conhecidos do meio policial por diversos crimes de roubo e furto à residência. Conforme explicaram, na semana passada o adolescente já havia sido preso por furto à residência, mas foi liberado em seguida. “Encontramos ele pedindo atendimento na UPA da Vila Cristina, pois havia se machucado na prática do crime. Ele foi recolhido, porém, por ser menor e o crime de furto não ser violento ou gerar grave ameaça, foi liberado”, concluíram os policiais.
 
SUSTO — Moradores de uma rua nas proximidades da ocorrência ficaram assustados. “Moramos aqui há mais de 12 anos e nunca vimos nada assim. A polícia veio e fez um bom trabalho e, apesar de assustadas, estamos mais tranquilas em saber que podemos contar com a PM”, disseram Maria de Lurdes e Daniela, vizinhas da ocorrência.
 
Um pouco mais para baixo, Mônica Mendonça, 38, ficou em choque ao ver os carros da polícia na vizinhança. “Pensei que fosse algo em casa. Meu filho pequeno estava com uma amiga enquanto eu estava no médico. Graças a Deus não aconteceu nada de grave com as pessoas de bem que moram nesta rua”, completou.