Barjas sinaliza alterações na ‘mini-cidade’ Corumbataí

O prefeito Barjas Negri (PSDB) sinalizou que pode fazer alterações no projeto de lei complementar que criou a ‘mini-cidade‘ Corumbataí, na região do Santa Teresinha, com a construção de cerca de 4.000 unidades habitacionais, para atender cerca de 14 mil famílias. O assunto foi tratado em reunião com os vereadores anteontem à noite. O Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente) do Ministério Público havia pedido aos vereadores para rejeitarem o projeto, por causa da ausência de estudos de impactos ambientais e de vizinhança e dos impactos socioeconômicos, de mobilidade urbana e de segurança.
 
A reunião sobre o projeto da Operação Urbana Consorciada Corumbataí ocorreu na Câmara. Segundo o Legislativo, a intenção foi dirimir dúvidas sobre o projeto. Segundo o Legislativo, ficou acordada a elaboração de emenda para determinar ao empreendedor um prazo para apresentação de relatórios de impactos ambientais. 
 
Barjas destacou a importância de aprovar o projeto para viabilizar o empreendimento destinado a famíliaS na faixa de 1,5 salários mínimos, pelo programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. E destacou que a aprovação não significa imediata liberação de obras sem a fiscalização ou liberação dos órgãos ambientais. “Sempre que eu tiver a oportunidade de gerar unidades habitacionais através do programa de subsídios, buscarei facilitar. Eu oriento quem posso para se esforçar para conquistar um imóvel pelo programa que, um dia, pode ser encerrado”, disse Barjas.
 
“As comissões, a sociedade e os vereadores, mais uma vez, não se furtam em levar à exaustão a discussão de um projeto, para que a votação corra de forma que cada vereador tenha ciência da sua decisão”, afirmou o presidente da Câmara, Matheus Erler (PTB).