Bebê de quatro meses morre por engasgamento

morte Médica plantonista da Unidade de Pronto Atendimento atestou a morte da bebê. (Foto: Arquivo/JP)

A Polícia Civil apura a morte de uma bebê de apenas quatro meses, que teria se engasgado com o leite materno, na casa da família, no bairro Serra Verde. A mãe levou a filha para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Piracicamirim, mas ela não resistiu. O sepultamento da bebê aconteceu anteontem no Cemitério da Saudade. O caso foi registrado no plantão policial, como morte suspeita/acidental.

Segundo o boletim de ocorrência, a mãe, uma dona de casa de 19 anos, teria informado que a bebê engasgou enquanto era amamentada em casa. Em seguida, os familiares correram com a criança para a UPA, mas a médica plantonista Mona Lisa de Araújo Gomes atestou a morte da bebê.

O corpo da menina foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) para a realização de exame necroscópico para comprovar a causa da morte, antes de ser liberado aos familiares para providenciarem o sepultamento. O laudo deverá ficar pronto no período de 30 dias.

UMA CHANCE — Em maio de 2018, um atendente do Copom (Centro de Operações da Polícia) da Polícia Militar conseguiu salvar a vida de um bebê, que também havia se engasgado com leite. Por meio de ligação telefônica para o 190, a mãe da criança recebeu as instruções de emergência até a chegada da equipe de socorro. Apesar do susto, o bebê fez todos os exames no hospital e recebeu alta médica. O bebê tinha engasgado e aparentemente deixado de respirar. O atendente perguntou para a mulher se estava com alguém. Assim que respondeu que estava com a mãe dela, avó materna do bebê, ela foi orientada a passar o telefone para a mãe para que pudesse segurar o filho de bruços.

A avó da bebê recebia as instruções para realizar a “Manobra de Heimlich”, método pré-hospitalar de desobstrução das vias aéreas superiores. A mãe realizou os procedimentos e o bebê voltou a respirar novamente. Em seguida ele foi encaminhado para o hospital, onde ficou internado em algumas horas em observação, mas recebeu alta médica no mesmo dia.

(Cristiani Azanha)