Bispo abre Campanha da Fraternidade com missa

O bispo de Piracicaba, Dom Fernando Mason, celebrou ontem à noite a missa de Quarta-Feira de Cinzas. A celebração, realizada na Catedral de Santo Antonio, marca o início da Quaresma — período de preparação dos católicos para a Páscoa — e abre a Campanha da Fraternidade, cujo tema neste ano é “Fraternidade e superação da violência”.
 
“O que esperamos é a atenção para o mistério de Jesus Cristo, que se doou ao Pai por nós. A quaresma é um tempo destinado à essa percepção. Espero que se façam os exercícios religiosos de oração, esmola e jejum para viver plenamente o amor de Deus”, afirmou o bispo. 
 
Durante a celebração de ontem, os fiéis receberam as cinzas nas testas, rito que simboliza a reflexão sobre a mudança. O material usado na missa é da queima dos ramos levados pelos fiéis e abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior.
Realizada anualmente pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), desde 1964, a Campanha da Fraternidade tem sempre como finalidade despertar os cristãos para reflexão de assuntos que norteiam a realidade social, visando a busca do bem comum.
 
Sobre a campanha, Dom Fernando ressaltou que a sociedade não pode ser dividida apenas entre vítimas e agentes da violência. “Todos nós temos momentos em que somos violentos do mesmo jeito em que qualquer pessoa pode ser vítima de um ato violento. Há a necessidade de um pensar renovado”, afirmou o bispo.
 
Visando levar a cultura de paz e a superação da violência em todas as suas dimensões na diocese, a Equipe Diocesana da Campanha da Fraternidade realizou encontros de formação sobre a campanha nas sete regiões pastorais diocese, no final de janeiro e início de fevereiro, que atraíram cerca de 1.200 pessoas. 
 
“Todos os anos a equipe diocesana estuda os documentos produzidos pela CNBB sobre a Campanha da Fraternidade e promove a formação para os agentes de pastorais, a fim de que os mesmos sejam multiplicadores em suas paróquias, e assim toda a Igreja possa refletir sobre o seu papel na mudança social. Para nós, esse ano, o paradigma daquele que supera a violência é o Cristo Crucificado que perdoa os seus algozes”, explica o coordenador diocesano de Pastoral, padre Kleber Fernandes Danelon.