BNDES aprova processo que definirá concessão do Parque Olímpico

BNDES aprova processo que definirá concessão do Parque Olímpico
Fonte: Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou o processo licitatório para contratação da consultoria especializada que vai estruturar o modelo de parceria público-privada (PPP) para a operação do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade. A previsão do valor global é de até R$ 10,8 milhões.

Rio de Janeiro - Cerimônia de início da operação integrada de segurança para os Jogos Rio 2016, no Parque Olímpico da Barra  (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Emcerrada a Olimpíada, arenasdo parque têm sido usadas para eventos específicos – Arquivo/Agência Brasil

De acordo com o banco, a sessão pública para contratação das consultorias técnicas ocorrerá no dia 29 deste mês, e a licitação faz parte do assessoramento técnico que a instituição presta à União. A parceria foi formalizada em contrato entre o BNDES e o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. O projeto conta ainda com participação do Ministério do Esporte e da Autoridade Gestora do Legado Olímpico.

Segundo o BNDES, os serviços técnicos consultivos para estruturação do projeto de concessão incluem as Arenas Cariocas 1, 2 e 3, o Centro Olímpico de Tênis, o Velódromo e o terreno anexo às Arenas Cariocas do Parque Olímpico da Barra.

“A fase de estruturação de um modelo de concessão ou parceria público-privada demanda a contratação de prestadores de serviços consultivos especializados, dotados de expertise, capacidade de articulação e atuantes em diferentes áreas de conhecimento, para desenvolver o extenso rol de levantamentos, estudos e produtos compreendidos na modelagem do projeto”, informa nota divulgada pelo banco.

Avaliações

O processo de preparação inclui a contratação de atividades como avaliação comercial e econômico-financeira do complexo esportivo, elaboração de um estudo de mercad, além de análise dos potenciais concorrentes e do possível portfólio de produtos que podem ser comercializados nas arenas.

A consultoria contratada terá que elaborar projetos de engenharia para a precificação de eventuais intervenções construtivas e execução de investimentos que venham a ser incluídos no plano de negócios referencial da concessão. Outra exigência é de assessoria jurídica em questões, diligências e discussões associadas à estruturação da concessão. Será necessário ainda elaborar minutas de atos normativos legais e infralegais, edital e contrato de concessão e outros documentos.

O tipo de concessão vai ser decidido ao longo do desenvolvimento da fase de modelagem. Na decisão, vão pesar informações geradas pelos consultores contratados pelo BNDES e decisões governamentais tomadas mais adiante.

Ocupação

Desde a construção do Parque da Barra para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, estava prevista uma licitação para definir a operação do local. Depois que terminaram as competições, as arenas vêm sendo utilizadas pontualmente para torneios específicos de categorias esportivas, mas nunca há o funcionamento de todas unidades ao mesmo tempo.

De sexta-feira (16) até domingo (18), das 9h30 às 19h30, a Arena 1 vai receber o Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour, considerada a maior competição de jiu-jitsu da América Latina. Será a terceira, de cinco etapas. A primeira foi no Japão, a segunda nos Estados Unidos, e as próximas, em Abu Dhabi e em Londres.

Participarão da nova fase competidores internacionais renomados, e os vencedores serão premiados com US$ 125 mil e com passagens áreas para a disputa seguinte, em janeiro de 2019, nos Emirados Árabes Unidos. A etapa é aberta para competidores de todas as nacionalidades nas categorias juvenil, adulta e máster, para masculino e feminino.

A iniciativa é da Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos, em parceria com a Federação Brasileira de Jiu-Jitsu. A competição será aberta ao público.

BNDES aprova processo que definirá concessão do Parque Olímpico