Bolsonaro mantém liderança com 33% e Haddad sobe para 23%

eleição Pesquisa divulgada ontem pela BTG/FSB mostra consolidação do petista na segunda colocação.

Faltando 14 dias para as eleições presidenciais, a quinta pesquisa eleitoral BTG/FSB, divulgada ontem, mostra a tendência de segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Hoje, Bolsonaro segue na frente com os mesmos 33% registrados na pesquisa passada e o petista se consolida na segunda colocação com 23% (na pesquisa anterior, tinha 16%). Ciro Gomes (PDT), manteve a terceira colocação, porém caiu 4 pontos, passando de 14% para 10%.

Geraldo Alckmin (PSDB), subiu de 6% para 8%. Marina Silva (Rede), manteve 5%. João Amoêdo (Novo), oscilou de 4% para 3%, Henrique Meireles (MDB) subiu de 2% para 3%, Álvaro Dias (Podemos) manteve os 2%. Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (Psol), João Goulart Filho (PPL), José Maria Eymael (DC), e Vera Lúcia (PSTU) aparecem como “Outros” e, juntos, somam 1% dos votos. Os eleitores que não votam em nenhum dos candidatos somam 7%. Declararam votar em branco ou nulo 2% e não sabem em quem votar, 4%.

Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, os cenários para o segundo turno apontam para empate técnico entre Bolsonaro e os três concorrentes melhores colocados nas pesquisas. No mais provável segundo turno, Bolsonaro aparece com 44% contra 40% Haddad (os 15% restantes se dividem entre Nenhum, Branco/Nulo e Não Souberam/Não Responderam).
Contra o candidato do PDT, Ciro lidera com 43% ante 41% de Bolsonaro (os 15% restantes se dividem entre Nenhum, Branco/Nulo e Não Responderam). Na disputa entre o candidato do PSL contra Alckmin, Bolsonaro venceria por 41% a 40% (os 18% restantes se dividem entre “Nenhum”, “Branco e Nulo” e “Não Souberam/Não Responderam”). Frente a Marina, Bolsonaro ganharia por 46% a 34% (os 20% restantes se dividem entre “Nenhum”, “Branco e Nulo” e “Não Souberam/Não Responderam”).

O Instituto FSB Pesquisa entrevistou 2.000 eleitores nos dias 22 e 23 de setembro, nos 27 estados brasileiros. O intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-03861/2018.

(Rodrigo Guadagnim)