Bortoletto: ‘Temos muito trabalho nesse fim de ano’

futebol Novo presidente do XV de Piracicaba fala sobre as prioridades no mandato de dois anos no comando do clube. (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Eleito novo presidente do XV de Piracicaba, Arnaldo Bortoletto, juntamente com o vice, Matheus Bonassi, iniciaram nesta quarta-feira (14) o trabalho para a composição da diretoria executiva que seguirá no clube pelos próximos dois anos. A chapa participou de várias reuniões ao longo do dia, nas quais também foi discutida a montagem do elenco para a Série A2 do Paulista, em 2019. O futuro treinador segue indefinido, mas há negociações abertas ao menos com três nomes. Em entrevista concedida após o pleito, na terça-feira (13), no Barão da Serra Negra, o novo mandatário do Nhô Quim confirmou algumas situações já definidas no clube.

“O Ricardo Moura será o diretor de futebol e o Douglas Pimenta será o meu assessor (da presidência). O diretor-tesoureiro será o João Antônio Cardoso. Alguns outros nomes serão discutidos nos dias seguintes, pois é preciso que a pessoa aceite o convite e venha para compor, trabalhar em prol do XV de Piracicaba. O que nós queremos é montar uma equipe transparente, séria, capaz de trazer frutos para o XV”, afirmou Arnaldo Bortoletto. Confira trechos da entrevista realizada com o novo presidente do clube piracicabano.

FINANCEIRO

“Foram comentados alguns valores, mas nós ainda não temos isso. Há alguns patrocinadores para dar continuidade, alguns novos, outro para voltar a patrocinar o XV. Nós temos muitas empresas em Piracicaba que ainda precisamos visitar, pois acredito que é quase um dever colaborar com o clube. Não precisa ser grandes vultos, mas temos outras formas dela colaborar. Se não pode colaborar com o futebol profissional, nós temos a base, projetos de Lei de Incentivo, que com impostos é possível angariar recursos para o clube. É muito trabalho que temos para fazer e estamos pensando fortemente nisso”.

DÉFICIT

“Tenho essa projeção (R$ 2,6 milhões), pois vimos o orçamento. Eram 395 sócios que pagaram e estavam aptos a votar nas eleições. É um número muito baixo para um clube centenário em uma cidade com mais de 400 mil habitantes, como é Piracicaba. Temos que trabalhar com os sócios, com a arrecadação do Semae e com empresas que possam a vir colaborar. As empresas trabalham com orçamentos, não é fácil conseguir aporte para esse ano, mas vamos lutar para que eles se planejem para o próximo”.

FUTEBOL

“Precisamos montar um time não só para a Série A2 do Campeonato Paulista, mas sim uma equipe com continuidade, um treinador que venha para ficar um ou dois anos, desde que dê os resultados, trazer jogadores que venham para disputar e elevar o nome do XV, e não ficar três meses e ir embora. Na base, temos três categorias e vamos fortalecer isso. O sub-23 seria como um time misto do XV. Se o clube estiver bem, poderia utilizá-lo em torneios menores, mas tudo vai depender da nossa arrecadação e do planejamento financeiro. Temos que correr nesse final de ano para trabalhar mais forte no próximo”.

( Líder Esportes)