Brasil enfrenta a Venezuela, em Salvador, na Fonte Nova

Seleção lidera seu grupo com três pontos e, em caso de nova vitória, garante a classificação. (foto: Figueiredo/CBF)

Após a boa vitória na estreia, a Seleção Brasileira enfrenta a Venezuela hoje, às 21h30, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela segunda rodada do Grupo A da Copa América. O Brasil lidera o grupo com três pontos, fruto da vitória sobre a Bolívia, enquanto a Venezuela, que ficou no 0 a 0 com o Peru, tem um ponto, assim como a equipe andina. A Bolívia não tem nenhum ponto no momento.

O jogo será especial para o capitão da Seleção, Daniel Alves, já que o atleta é natural de Juazeiro e começou na base do Bahia, equipe que joga na Fonte Nova. “Voltar para casa é poder comemorar tudo o que fiz durante todos os anos da minha profissão. Quando volto aqui, sinto algo diferente. Sinto alívio por ter feito o que eu sonhei fazer. Sou o filho da terra que saiu, fez e continua fazendo. Sempre quis orgulhar os meus pais. Esse é o maior título que eu pude conquistar. Isso vem em primeiro lugar”, disse o lateral.

A novidade no treino da Seleção Brasileira foi a presença do lateral Éder Militão, que não participou do último treino em São Paulo em razão de dores, porém na chegada a Salvador, o jogador se recuperou e estará a disposição de Tite para o segundo jogo. O goleiro Ederson não participou do treino de domingo, já que ficou hotel com a fisioterapia tratando a lesão na panturrilha e é dúvida para o jogo. O meia Arthur, que ficou de fora da estreia, treinou normalmente e provavelmente estará entre as opções de Tite para o jogo.

O técnico da Venezuela, Rafael Dudamel, já pensa na partida diante do Brasil desde o apito final da estreia diante dos peruanos. “Nós teremos uma grande jogo, porém que nos exigirá muito. Nosso primeiro pensamento foi de recuperar os atletas para tomarmos as melhores decisões para o confronto em Salvador”, disse Dudamel.

Brasil e Venezuela se enfrentaram sete vezes na história da Copa América, com ampla vantagem da Seleção brasileira, com seis vitórias, um empate, 27 gols marcados e apenas dois sofridos. O último jogo foi em 2015, em Santiago e o Brasil venceu por 2 a 1, gols de Thiago Silva e Firmino, enquanto que Miku marcou para os venezuelanos. O confronto mais emblemático na Copa América foi em 1999, ano em que o Brasil venceu por 7 a 0. O gol de Ronaldinho Gaúcho, o quinto da goleada e o primeiro do craque com a camisa da Seleção, foi o mais marcante, já que o atleta deu um chapéu no zagueiro antes de marcar. O lance ficou famoso em razão da narração “Olha o que ele fez”, de Galvão Bueno.

O outro jogo do dia será entre Bolívia e Peru, que se enfrentam às 18h30, no Maracanã, no rio de Janeiro. Os peruanos precisam da vitória para chegarem aos quatro pontos e jogarem mais tranquilos diante do Brasil, enquanto que a Bolívia precisa da vitória para ter chances de classificação.

PRIMEIRA RODADA

Pelo Grupo A, o Brasil derrotou a Bolívia por 3 a 0, com dois gols de Philippe Coutinho e um de Everton Cebolinha. No outro jogo da chave, Venezuela e Peru empataram por 0 a 0. No Grupo B a Argentina foi derrotada pela Colômbia por 2 a 0, gols de Roger Martínez e Duván Zapata; enquanto que Paraguai e Catar empataram em 2 a 2, gols de Cardozo e Derlis González para os paraguaios e Ali e Rojas (contra) para os cataris. No Grupo C, o Uruguai goleou o Equador por 4 a 0, gols de Lodeiro, Cavani, Suárez e Mina (contra).

Na última segunda-feira (17), o Chile derrotou o Uruguai por 4 a 0, com gols de Pulgar, Eduardo Vargas (duas vezes) e Alexis Sánchez. Com o resultado, os chilenos lideram a chave ao lado do Uruguai, com três pontos e saldo de gols quatro. Com os gols, Eduardo Vargas chegou a marca de 12 gols na história da Copa América, se tornando o 10º maior artilheiro da história e o maior em atividade.

Mauro Adamoli
[email protected]