Brasil estreia contra a Bolívia

Foto: Lucas Figueiredo / CBF

O Brasil estreia na Copa América nesta sexta-feira (14), às 21h30, diante da Bolívia, no estádio do Morumbi, em São Paulo, pela abertura do Grupo A e da competição continental, que não é disputada no país desde 1989. Esta será a quinta vez na história que a Copa América será disputada no Brasil, sendo que a primeira vez foi em 1919, há exatos 100 anos, em todas as edições em casa, o Brasil ficou com o título.

A principal novidade da Seleção Brasileira estará no uniforme, já que a equipe jogará com a camisa branca, modelo que não é usado em uma competição desde 1952. O fato pegou o lateral-esquerdo Filipe Luís de surpresa, já que o mesmo ficou sabendo na hora da coletiva. “Não sabia que iriamos jogar com ela na estreia, mas tudo que for diferente e fazer parte da história da Seleção
é um orgulho e poder jogar com a camisa branca depois de tantos anos que o Brasil não joga com essa cor. Muita gente, eu, pelo menos, nunca vi o Brasil jogar de branco. Neste caso não é ganhar um título, mas fazer parte da história”, disse o defensor.

O confronto será em São Paulo, cidade em que a torcida é mais exigente em relação a jogos no Nordeste, por exemplo, fato destacado por Filipe Luís. “Esperamos que tenha cobrança, porém ao mesmo tempo queremos trazer o torcedor ao nosso lado. Estamos jogando melhor a cada jogo, melhorando o nosso desempenho, o time está se entrosando cada vez mais, os mais jovens estão mais soltos, com confiança para fazer grandes jogadas. O objetivo é que torcida e jogadores tenham uma comunhão, não pedindo o apoio, mas eles verem que dentro do campo o time está
dando o máximo e passem a nos apoiar”, destacou.

O técnico da Bolívia , Eduardo Villegas, se disse contente em enfrentar a Seleção, porém espera que seu time possa surpreender a equipe. “É um privilégio enfrentar o Brasil, e assim como
fizemos quando enfrentamos a França, queremos fazer uma boa partida. Nós sabemos que estamos um pouco abaixo do resto, porém sabemos que isso pode ser nivelado, já que é uma questão de atitude, de garra e isso é o que estamos proclamando”, disse.

Brasil e Bolívia se enfrentaram 10 vezes em Copas América, com ampla vantagem brasileira, com oito vitórias e duas derrotas, com 39 gols marcados e 13 sofridos. O último e mais importante confronto entre eles foi a final da Copa América de 1997, disputada em La Paz, capital boliviana. Mesmo jogando contra a torcida e contra a altitude, o Brasil venceu por 3 a 1, gols de Edmundo, Ronaldo e Zé Roberto (Erwin Sánchez descontou) e conquistou o que na época foi seu quinto título continental.

Mauro Adamoli