Brasil vence, se classifica e aguarda por França ou Alemanha

Marta chegou a marca de 17 gols na história dos mundiais (Foto: Getty Images)

A Seleção Brasileira Feminina venceu a Itália pelo placar de 1 a 0, na tarde da última terça-feira (18) e está classificada para as oitavas de final da Copa do Mundo 2019. Na segunda etapa, Marta, de pênalti, fez o gol da classificação do Brasil, que chegou aos seis pontos e terminou na terceira posição da chave, com seis pontos, empatada com Itália e Austrália, porém nos critérios de desempate, já que teve saldo inferior as italianas (cinco a três) e menos gols que as australianas (oito a seis). A Seleção aguarda agora o fim da primeira fase para saber se enfrentará a França ou a Alemanha.

Autora do gol da vitória e da classificação, Marta, que já era a maior artilheira do Mundial feminino, ultrapassou o alemão Miroslav Klose e com 17 gols se tornou a maior artilheira da história dos Mundiais. A Rainha do Futebol marcou três gols em 2003, sete em 2007, quatro em 2011, um em 2015 e dois em 2019. Outro recorde da atleta é de ser a única atleta a marcar em cinco edições diferentes de Copa do Mundo, tanto no masculino, quanto no feminino.

No outro jogo do grupo, a Austrália venceu a Jamaica por 4 a 1, com quatro gols de Samantha Kerr, com Solaun marcando o de honra jamaicano.

A última rodada do Grupo D da Copa do Mundo Feminina será disputada nesta quarta-feira (19), às 16h. Em Nice, Inglaterra e Japão já estão classificadas, com seis e quatro pontos respectivamente, e jogam pela liderança da chave. No outro confronto, em Paris, se enfrentam Argentina (um ponto) e Escócia (zero). No jogo das classificadas, as inglesas confirmam o primeiro lugar se empatarem a partida, porém uma vitória japonesa dará a liderança para as asiáticas. Na capital francesa, a Argentina precisa de uma vitória para se classificar, enquanto que a Escócia precisa vencer e torcer por outros resultados.

A preocupação dos técnicos para este confronto é em razão dos cartões, já que além do risco de alguma jogadora pendurada receber o segundo amarelo e ficar de fora das oitavas, ainda tem o fato de receberam um amarelo neste jogo e ficarem penduradas na fase mata-mata. “A frustração pode assumir o controle algumas vezes e não queremos que nossas jogadoras vão com isso na cabeça. Sabemos que para competir em alto nível elas tem que fazer o possível para vencer, porém minhas jogadoras têm uma concentração incrível e estou muito orgulhoso delas”, disse o técnic da Inglaterra Phil Neville.

Mesmo com a classificação garantida, as jogadoras do Japão sabem que podem fazer mais para conquistar a vitória e a liderança. “Nós não conquistamos nada ainda, então essa partida é muito importante e trabalhamos intensivamente como um grupo para nos preparar para este jogo. O time inteiro, incluindo as reservas, estão com o foco de vencer esta partida”, disse a goleira japonesa Sakiko Ikeda.

A equipe escocesa aposta suas últimas fichas no confronto desta quarta, já que uma derrota pode significar a queda precoce na competição. “Nós sabemos que os dois primeiros jogos seriam duros e tentamos conquistar alguns pontos, porém não foi possível. Agora temos que conseguir os três pontos, senão será o fim da competição para nós. Nós mostramos que podemos jogar sob pressão. Nosso time lutará até o fim e acho que essa jornada ainda não acabou para nós”, disse a defensora Sophie Howard.

Mesmo sem ter triunfado, a Argentina teve boas partidas contra Japão e Inglaterra, e mesmo não tendo triunfado, as sul-americanas tiveram as melhores jogadoras das partidas, com Estefanía Banini contra as japonesas e Vanina Correa contra as inglesas.

Mauro Adamoli