,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Acusado de homicídio tem prisão decretada
  • PC prende dois por morte de mulher
  • Município realiza leilão de veículos usados

Preso suspeito de acorrentar e matar ativista social em Rio Preto
Agencia Estado
18/03/2017 15h00
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A polícia prendeu nesta sexta-feira, 17, o caseiro Juvenal Pereira dos Santos, de 47 anos, suspeito de ter acorrentado à cama, estuprado e assassinado a ativista social Simone de Moura Facini Lopes, de 31 anos, no último dia 12, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo. Santos vinha apontando seu patrão, o dono do imóvel, como autor do crime, mas as investigações apontaram que ele teria participação direta no crime. O dono da chácara, Francisco Lopes Ferreira, de 64 anos, está desaparecido desde o dia do crime. Simone era ativista de uma igreja evangélica e vinha dando aulas de alfabetização para Ferreira. No dia do crime, ela foi à chácara para dar sequência ao trabalho voluntário e não voltou para casa. À noite, o caseiro ligou para a polícia avisando que havia chegado de viagem e encontrado o corpo. A mulher foi morta com golpes de marreta. Santos alegou que passara o dia em na cidade de Bady Bassit, com familiares, mas seu álibi foi considerado suspeito e está sendo investigado. De acordo com o delegado Alceu Lima de Oliveira Junior, que investiga o caso, a polícia apurou que as correntes, cadeados e a marreta usada no crime pertencem ao caseiro. Há suspeita também de que o próprio caseiro escreveu numa foto de Simone uma suposta declaração de amor de Ferreira à jovem para incriminar o patrão. Os dois suspeitos já foram condenados por crimes sexuais e se conheceram na prisão. A Justiça decretou a prisão temporária do caseiro. À chegada da polícia, ele tentou fugir, o que reforçou as suspeitas. Em razão da revolta causada pelo crime, o caseiro foi levado para uma cadeia em outra cidade da região. O dono da chácara continua sendo procurado. Não está descartada a hipótese de que os dois homens tenham se juntado na prática do crime.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar