‘Brejas’ tipicamente piracicabanas

Bebida Dama 251, criada pela cervejaria Dama Bier para os 251 anos de Piracicaba. ( Amanda Vieira/JP)

O Dia Internacional da Cerveja é comemorado todo ano, desde 2007, durante a primeira sexta-feira de agosto. A data foi criada na cidade Santa Cruz, na Califórnia (EUA), como uma brincadeira entre os amigos Jesse Avshalomov, Evan Hamilton, Aaron Araki e Richard Hernandez. Em uma publicação on-line, Avshalomov explicou que a data “é uma canção de amor” e uma “maneira de dizermos obrigado” para a indústria cervejeira. Atualmente, a data é celebrada em mais de 40 países.

 

Nos livros de história consta que a “breja” surgiu no antigo Egito e foi inventada pelas pessoas que não tinham como pagar pelo vinho. Uma curiosidade é que Ramsés Terceiro (1184 – 1153 a.C) passou a ser conhecido como faraó-cervejeiro após doar um milhão de litros da bebida que comercializava em sua cervejaria. A cerveja é produzida com quatro elementos base: lúpulo, malte, leveduras e água.

Em Piracicaba, nesta primeira semana de agosto a comemoração não foi tão somente pelo Dia Internacional da Cerveja, mas também pelo aniversário de 251 anos da cidade. Inclusive, a cervejaria Dama Bier preparou uma mistura especial da bebida para os clientes por conta da data festiva.

A empresa oferece mais de 25 tipos de cerveja e entre elas está uma edição especial para o aniversário da cidade. O produto estreou como Dama 250 e esse ano foi relançado com o nome Dama 251, devido aos 251 anos de Piracicaba. “Temos uma Pilsen bem reconhecida, a partir dessa base fizemos algumas pequenas alterações, principalmente na questão do lúpulo, que é responsável pelo amargor, aroma e sabor da bebida. A base de malte e fermentação dessas duas cervejas é basicamente a mesma. Essas alterações no lúpulo torna as características dessa cerveja mais evidentes, você sente notas cítricas que lembra um pouco as frutas alaranjadas e amarelas”, disse o gerente comercial da casa, Paulo Bettiol.

Ele contou que utilizaram uma técnica chamada Dry Hopping no processo de produção da Dama 251. “Acontece uma adição de lúpulo na parte fria do processo de preparo da cerveja, ou seja, durante a maturação é agregado características aromáticas e sabor à bebida, diferente da Pilsen, que não passa por esse processo”, explicou.

O profissional contou, também, que durante o processo de concepção da cerveja a equipe queria um produto que todo piracicabano pudesse provar e entender que a cerveja é uma homenagem que a empresa cervejeira estava fazendo para a cidade. “Por isso, nossa cerveja não poderia ser muito amarga e nem muito escura, tentamos chegar em um meio termo. A 251 é leve, refrescante e com personalidade”, falou.

Foram produzidas 2.500 litros da Dama 251. Ela tem um teor alcoólico de 4.8, é vendida em copos de chope de 300ml, canecas de 500ml e garrafas de 600ml. O estabelecimento existe desde 2001 e é o segundo ano que comercializa esse produto.

A Leuven, fundada em 2010, comercializa cerca de dez tipos de cerveja, dentro desta lista estão a Pilsen e Ipa. “A Pilsen é a mais tradicional, acaba saindo para todas as ocasiões. Outra que é o nosso carro-chefe é a Ipa, que está em alta no mercado, quase se comparando à Pilsen”, contou o supervisor de vendas da empresa, Atílio Ometto Kraide.

O gerente de produção Sérgio Luiz de Oliveira explicou que os processos de produção das duas bebidas são semelhantes e o que muda é a quantidade de lúpulo, malte e fermento utilizados em cada uma e a forma como são combinados. “No caso da Ipa, que é uma cerveja mais encorpada, utilizamos quatro tipos de malte, uma de fermento e duas variedades de lúpulo nobre, Centennial e Mosaic, que dão o amargor e aromas característicos da nossa cerveja. A Pilsen possui é duas variedades de maltes, duas de lúpulo e uma de fermento”, comentou.

A empresa começou a trabalhar com a Ipa em meados de 2015. “Foi uma necessidade já que ela é uma das cervejas mais consumidas no Brasil e no mundo. Ela é ótima para ser harmonizada com hambúrgueres, churrasco e costela assada. Tem um teor alcoólico de 7,5%”, disse Oliveira. A Pilsen, com coloração dourada e brilhante, aroma de predominância do malte e quase sem amargor, foi inserida no portfólio devido à demanda dos clientes.

De acordo com os profissionais, cerca de 98% da matéria-prima é importada da Alemanha, Estados Unidos e República Checa e o diferencial é o estilo belga dos produtos utilizados. As bebidas são comercializadas em garrafas de 500 a 600 ml, três estilos de long necks de 355 ml e latas de 473 ml.

Inaugurada em 2001, a Cevada Pura foi a primeira microcervejaria de Piracicaba com produção voltada para venda de chope em barril. Oferece mais de 16 tipos de cervejas, entre elas a Weizenbier e a Nanquim. “A Weizenbier, ou só Weizen, é uma das cervejas mais comercializadas pela Cevada, até porque é uma das nossas cervejas mais tradicionais, foi uma das pioneiras e um dos principais estilos que deu origem à Cevada Pura”, contou o cervejeiro Lucas Romero.

De acordo com ele, a Weizen é feita com uma receita de origem alemã, com uma coloração avermelhada, turva e uma “excelente formação de espuma”. “Os aromas da Weizenbier são basicamente cravos e especiarias, com amargor baixo que se equilibra com o dulçor e a carbonatação é mais elevada para aumentar a refrescância. Ela é ótima para ser consumida com peixes, frutos do mar, saladas, pratos bem temperados e sobremesas à base de banana”.

A particularidade da Nanquim é que ela faz parte das cinco cervejas colaborativas produzidas pela Cevada. Feita em parceria com uma cervejaria portuguesa, chamada Minhota Letra, foi lançada no Brasil durante o inverno de 2016. É também uma cerveja produzida em lotes, lançada anualmente e que esta em sua segunda edição. O nome Nanquim é uma alusão ao pigmento preto produzido por polvos e lulas, usado para produzir a tinta utilizada em manuscritos chineses.

“A bebida é fermentada com leveduras da cachaça e adição de sementes de cacau da Bahia. A maturação dura dez meses em barris de Vinho do Porto. O teor alcoólico dela é mais elevado, em torno de 12,05% e o amargor dela é um pouco mais elevado para equilibrar com o corpo da cerveja, ela é uma bebida mais encorpada”, explicou Romero.

Essas cervejas são comercializadas em garrafas de 500 ml, long neck e copos de chope. Recentemente adotaram as growlers, vendidas para os clientes e que podem retornar ao estabelecimento com elas apenas para abastecer com cerveja.

SERVIÇO —Dama Bier (avenida Rio das Pedras, 104. Piracicamirim). Informações: (19) 3411-7006. Ceveja Leuven (rua São Francisco de Assis, 1321, Centro). Informações: (19) 3422-1802. Cevada Pura (avenida Lourenço Ducatti, 301, Vila Rezende). Informações: (19) 3421-1070.

(Leonardo Benedito)