Bueiro entupido há 7 dias incomoda a população

Um bueiro entupido na rua Avelina Ferreira da Cunha, no Jardim Camargo, tem perturbado a população do bairro, que reclama principalmente do forte odor que vem do local. O problema começou na noite do último dia 23, quando uma tempestade atingiu na cidade. “O cheiro está insuportável, não tem condições de ficar nem na sala de estar da minha casa”, reclama a dona de casa Eliete de Morais, cuja residência fica bem em frente ao bueiro entupido.

Além do mau cheiro, a água suja pela rua é outra consequência desde a última tempestade, e preocupa a população já que no local existem muitas crianças e que elas ficam mexendo na água do esgoto. “A água está no meio de rua e as crianças estão ficando doentes, já que elas não entendem que essa água não é para brincar”, comentou a dona de casa Maria Nicolau. “Tinha um menino de quatro anos mexendo na água e mandei ele sair para não ficar doente”, disse Eliete.

Os moradores disseram ter feito contato com o Semae (Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto) e a empresa Mirante, responsável pela coleta de esgoto na cidade, porém o problema ainda não foi resolvido. “Entramos em contato com o Semae depois de dois dias e eles vieram no sábado (26) para verificar o problema. Depois de analisarem o problema disseram que o caminhão de sucção de esgoto viria na manhã seguinte”, explicou Eliete.

O caminhão, que era previsto para ir ao local no domingo (27), apareceu apenas na tarde de terça-feira (29), porém não resolveu o problema. “Ele veio, ficou 20 minutos e saiu. Além de não nos dar satisfações, o cheiro piorou”, comentou a dona de casa.

Em contato com a assessoria de imprensa da Mirante, a empresa informou que tem conhecimento do problema e que vem tentando resolvê-lo ao longo da última semana. Devido a complexidade da intervenção no local, a empresa disse que vai emitir uma nota oficial ainda nesta quinta-feira (31) para informar os moradores sobre o que aconteceu no local para o surgimento do problema, bem como tudo o que vem sendo feito para resolver a situação.

 

Mauro Adamoli