Buraco do Semae traz risco a pedestres no Jardim Astúrias II

buraco Moradora mostra os riscos que o buraco aberto traz. (Foto: Claudinho Coradini / JP)

Um buraco em uma calçada na rua João Cunha Raposo, 543, no Jardim Astúrias II, tem causado transtorno, além de riscos aos pedestres que por ali passam. De acordo com Anderson de Almeida Pinheiro, 46, autônomo, o buraco na calçada foi aberto pelo Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) em novembro de 2017, quando equipe da autarquia esteve no local para colocação de tubulação e registro de água. “O Semae quebrou a calçada, ao lado da caixa de esgoto, e não fechou. Já reclamei até pessoalmente no atendimento do Semae, mas não foi aberto protocolo. Apenas me disseram que o problema seria resolvido”, conta.

Para evitar que pessoas se acidentem na calçada do seu imóvel, Anderson Pinheiro improvisou fechamento do buraco com tabuas, que já apodreceram, e até mesmo com pedra. Pinheiro relata que uma moradora já tropeçou na calçada por causa do buraco. Segundo o autônomo, quem passa pelo local sempre reclama da situação. “A gente se preocupa, principalmente, com crianças e idosos, que podem não perceber, tropeçar e se machucar. Com a água da chuva, o buraco aumentou e tem profundidade de um metro e meio”, alerta.

Há uma semana, após ter feito reclamações por telefone sem solução, o autônomo decidiu ir pessoalmente à autarquia. De acordo com Pinheiro, no atendimento ele foi informado que não havia protocolo da reclamação. “Expliquei novamente a situação e mesmo pessoalmente, não foi aberto protocolo. Pedi até para falar com o superintendente do Semae, mas quem me atendeu apenas disse que seria dada prioridade ao problema”, ressalta.

Sobre o buraco aberto desde novembro na rua João Cunha Raposo, 543, a assessoria de imprensa do Semae disse que a partir de novembro de 2017, não consta no sistema da autarquia nenhuma reclamação em aberto para este endereço e que será encaminhada uma equipe ao local.

(Eliana Teixeira)