Câmara faz adaptações em sua estrutura após sugestões de entidades para inclusão

Entidades estiveram na Casa e fizeram sugestões. (Foto: Leandro Trajano)

Os banheiros feminino e masculino localizados no hall do Salão Nobre Helly de Campos Melges, da Câmara de Vereadores de Piracicaba, serão reformados. A intervenção ocorre como forma de atender aos apontamentos das entidades convidadas a dar suas contribuições ao projeto Câmara Inclusiva.

Lançado em 27 de junho, o projeto surgiu da necessidade de adequação das estruturas físicas dos dois prédios e como forma de facilitar o acesso das pessoas com deficiência aos diversos ambientes. As ações integram o programa Parlamento Aberto e foram construídas coletivamente, entre Câmara e entidades. Elas visitaram os dois prédios do Legislativo para fazerem o diagnóstico das melhorias.

Após apresentação de relatório, a Mesa Diretora fez reuniões com o corpo técnico dos setores do Legislativo para analisar as sugestões e colocá-las em prática. “Nós nos comprometemos com as entidades e vamos cumprir. Alguns casos dependem de projetos mais detalhados e serão executados no decorrer de 2020”, afirma Gilmar.

Segundo o diretor do Departamento de Administração, Mauro Rontani, a adequação dos banheiros consta no relatório entregue à Câmara pelo Centro de Reabilitação Piracicaba e Comdef (Conselho Municipal de Proteção, Direitos e Desenvolvimento da Pessoa com Deficiência).

A maior preocupação é com a acessibilidade dos cadeirantes e das pessoas ostomizadas. “Da forma como está, qualquer pessoa com dificuldades de mobilidade tem problemas ao utilizar o banheiro, que é muito antigo e há vários anos não passa por qualquer intervenção”, esclarece Rontani.

A opção por iniciar a intervenção pelos banheiros do Salão Nobre se dá por causa do alto fluxo de visitantes, já que o espaço concentra as solenidades da Câmara em vários dias da semana. A intenção é que a obra seja iniciada em janeiro, aproveitando o período de recesso parlamentar, quando o fluxo de eventos no local também é menor.

Rontani acredita que será uma obra com altas intervenções. Para isso, a Câmara contratará um projeto de adaptação total, utilizando a mesma rede de água e esgoto do prédio, que possui mais de 50 anos de construção.

Enquanto as obras ocorrerem, o público poderá utilizar os dois banheiros localizados no hall do prédio principal, em caráter provisório. “Depois desta fase, vamos verificar as adequações desses espaços também, que são menores, e teremos a colaboração da Fumep (Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba), já que estamos celebrando um convênio com a entidade para nos ajudarem nos projetos de acessibilidade”, completa o diretor.

O projeto de decreto legislativo que trata da parceria entre a Câmara e a Fumep teve entrada na 70ª reunião ordinária, na última quinta-feira (25), e será votado nos próximos dias.

Assim como as melhorias nos banheiros, os relatórios das entidades apontam necessidade de intervenções nos elevadores, escadas e recepções, instalação de pisos táteis e antiderrapantes, placas em braile e reflexivas, retirada de obstáculos móveis e aéreos em áreas de livre circulação, rebaixamento de guias, correção de desníveis de calçadas e sarjetas.

Além do Centro de Reabilitação e Comdef, as entidades que contribuíram com o Câmara Inclusiva são o Espaço Pipa, Avistar, Apae, Escola Passo a Passo, Apaspi, Centro Dia Crescer e Libras Piracicaba.

Da Redação