Câmeras contra o crime

 

 Se todas as cidades do Aglomerado Urbano investissem em sistemas de segurança semelhantes, seria criado um escudo contra a criminalidade

A tecnologia tem sido um importante aliado no combate à criminalidade em todo o Brasil. Na região, Piracicaba é uma das cidades que investiu pesado em videomonitoramento para inibir delitos, como furtos e roubos de veículos, assaltos a mão armada, agressões, entre outras. Nesta semana, a Prefeitura de São Pedro também anunciou investimento de R$ 2 milhões na Central de Monitoramento e Inteligência com instalação de 450 câmeras de segurança da fabricante sueca Axis Communications interligadas por uma rede de 20 quilômetros de fibra ótica.

A central exibe as imagens dos equipamentos instalados em prédios públicos e pontos considerados estratégicos, como praças, parques e ruas com muito movimento.De fato o município, apesar de ser pequeno – tem 34.898 habitantes-, recebe muitos turistas, em especial nos finais de semana, e é necessário reforçar a segurança.

O principal ganho desse sistema é o reforço na segurança pública. Em reportagem de Beto Silva, publicada nesta edição, o capitão Ricardo Bessa, comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar de São Pedro, disse que vê na Central de Monitoramento uma importante aliada da segurança pública, em especial as chamadas câmeras inteligentes instaladas em todas as entradas do município, que permitem a leitura das placas dos carros.

Se consta que o veículo é furtado ou roubado, os policiais que estiverem nas viaturas mais próximas serão deslocados para fazer a abordagem. Esse sistema já funciona muito bem em várias cidades da Região Metropolitana de Campinas e ajudaram a derrubar os indicadores de criminalidade.

De fato, a instalação em pontos chaves aumentará a resposta às ocorrências policiais e a proteção aos turistas e moradores. As câmeras ajudam no aumento das prisões em flagrantes, de estelionatários, esclarecimento de homicídios.

São Pedro enfrentava uma onda de golpes aplicados por estelionatários que tinham como alvo pessoas idosas. Nos três portais de entrada e saída de veículos da cidade, foram instalados os equipamentos com software que captura, em média, 15 mil placas por dia. A localizada mais rápida desses veículos permitirá mais prisões em flagrante.

Em pleno século 21, não dá mais para se fazer segurança pública sem o emprego de tecnologia. A última moda é utilizar os drones para monitorar concentrações, fuga de bandidos, movimentação nas proximidades de pontos de venda de drogas. Com a central de videomonitoramento, São Pedro faz parte do seleto grupo que tem reforço no combate à criminalidade. E os marginais vão pensar duas vezes antes de cometer crimes na cidade. Pelo menos é o que se espera.

Se todas as cidades do Aglomerado Urbano investissem em sistemas de segurança semelhantes, seria criado um escudo contra a criminalidade. Pelo menos ajudaria a reduzir drasticamente as ocorrência, espera-se.

(Claudete Campos)